i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Bandeira laranja

Restaurantes pedem funcionamento até 22h e prometem apoio à fiscalização em Curitiba

  • 15/06/2020 14:51
Funcionamento restaurantes
Restaurantes e entidades do setor em Curitiba pedem ampliação do horário de funcionamento além do definido em decreto.| Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo

A regional paranaense da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-PR) enviou um ofício à Prefeitura de Curitiba nesta segunda (15) pedindo a revisão da permissão do horário de funcionamento dos estabelecimentos e se comprometendo a ajudar na fiscalização. A medida veio dois dias depois do anúncio do decreto alterou o alerta de baixo para médio risco do avanço do novo coronavírus na cidade.

A alteração do nível da bandeira de alerta restringe o funcionamento de restaurantes e lanchonetes com salão aberto para clientes apenas das 12h às 15h. No restante do tempo, os estabelecimentos podem operar apenas nas modalidades de balcão (take away), delivery e drive-thru.

Diretor-executivo da Abrasel-PR, Luciano Bartolomeu explica que já no domingo (14) entrou em contato com o conselho de urbanismo da prefeitura pedindo uma revisão do horário permitido e que recebeu um retorno positivo da administração municipal.

"A secretaria de saúde viu que nós somos a favor das restrições por conta do aumento do número de pessoas infectadas. O que queremos é que se possa expandir os horários de funcionamento, assim não concentra muita gente em apenas um período", afirma.

A entidade pede que os estabelecimentos possam funcionar presencialmente das 12h até às 22h, deixando a critério de cada um definir se atende apenas no almoço e/ou jantar ou mesmo o dia todo, e que operem o balcão (take away), delivery ou drive-thru como considerarem melhor dentro de suas estratégias.

Luciano Bartolomeu conta que se o decreto for mantido como está, estabelecimentos que só funcionam a noite perderão o pouco fluxo de clientes que já conquistaram de novo e fatalmente vão fechar as portas. No cenário mais amplo, Abrasel-PR já estima que três em cada 10 estabelecimentos não vão reabrir as portas até o final do ano, e que este número pode ser ainda pior se a pandemia se prolongar -- 40% do setor pode fechar definitivamente.

Apoio à fiscalização

Além de pedir a revisão dos horários de funcionamento, a Abrasel-PR se comprometeu a ajudar na fiscalização de lanchonetes e restaurantes que operarem fora das normas exigidas pela Resolução 1/2020, que impõe medidas de funcionamento aos estabelecimentos.

A entidade diz que é completamente contra bares e restaurantes que funcionam com aglomeração de pessoas e que estes estabelecimentos fora das normas realmente devem ser fechados pela fiscalização.

"No ofício pedimos um reforço na fiscalização, inclusive com apoio dos associados da Abrasel, e uma punição severa contra quem promove aglomeração. E também contamos com a ajuda da população denunciando para o 156", diz Bartolomeu.

A associação dos bares e restaurantes pretendia fazer uma assembleia nesta segunda (15) para discutir como contestar o decreto 774/2020, mas suspendeu a reunião após a prefeitura confirmar a reanálise das medidas, o que deve ocorrer ainda nesta tarde.

"Talvez vamos chegar a um bom termo de um equilíbrio disso. Embora os representantes dos setores digam que está tudo em ordem, nem todos estão seguindo adequadamente os protocolos", disse Márcia Huçulak, secretária municipal de saúde, ao Meio Dia Paraná, da RPC.

Enquanto não sai uma mudança no decreto, a Abrasel-PR recomendou aos associados que sigam a legislação e não abram os estabelecimentos fora do horário permitido.

Carta conjunta

As medidas propostas pela Abrasel-PR também fazem parte de uma carta que será enviada à prefeitura até terça (16) assinada em conjunto com a Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Rede Empresarial do Centro Histórico e o movimento Fechados pela Vida.

A carta conjunta pede, ainda, regras mais claras de fechamento do comércio, com uma explicação melhor da diferença de um setor para o outro, a ocupação inteligente do transporte público e mais agilidade no atendimento às demandas do 156.

O grupo pede ainda a extensão das medidas de ajuda do governo federal na proteção aos empregos e o acesso às linhas de crédito prometidas para financiar o capital de giro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.