Produtos & Ingredientes

versão para celíacos

Conheça o Não de Queijo, o pão de queijo vegano produzido em SJP

Sem glúten, sem lactose, sem ovo, sem corantes e conservantes, mas com o mesmo gosto da iguaria mineira

por Patricia Favorito Dorfman, especial para o Bom Gourmet Publicado em 12/09/2018 às 18h
Compartilhe

A receita tradicional leva mandioca, polvilho azedo, água, óleo de girassol, sal, levedura nutricional. Na versão alho e ervas, acrescenta salsinha, cebolinha e alho. Mas, nenhum queijo. Por isso, o nome sugestivo “Não de Queijo”.

Depois de passar um mês diariamente produzindo fornadas até acertar a receita que foi colocada à prova, Edineri Rogéria Smanhotto conta que a escolha por um produto para celíacos veio da necessidade que ela e o marido, Paulo Eduardo Luize Pereira, tiveram em fazer uma dieta restritiva de glúten e leite para tratar questões do aparelho digestivo.

Como fazer bolinho de chuva vegano

“Não somos celíacos, mas nesta dieta vimos a dificuldade em encontrar produtos para este público”, conta. Dificuldade não só em termos de variedade, mas principalmente em termos de qualidade sensorial. “A grande maioria dos produtos são sem gosto, sem cheiro e que não possuem uma aparência atrativa. Queríamos um produto que não deixasse nada a desejar ao original, o pão de queijo mineiro tradicional”, explica.

Não de Queijo, sem queijo, mas com sabor. Foto? Letícia Akemi / Gazeta do Povo

Não de Queijo, sem queijo, mas com sabor. Foto: Letícia Akemi / Gazeta do Povo

O Não de Queijo é, também, um pão de polvilho vegano. “Aliás, este público tem nos dado cada vez mais retorno”, expõe Edineri. Produzido sem glúten, sem lactose, sem ovo, sem corantes e conservantes, tornou-se um produto veg. A busca da melhor receita foi sempre para que antes de chegar ao paladar, o produto fosse aceito pela sua cor, textura, formato. Por isso, as qualidades sensoriais a que se referem os criadores.

Receita de cookie vegano de chocolate

Produzido na fábrica em São José dos Pinhais, apenas Edineri e Paulo tocam o negócio. São eles que além da receita, desenharam a cozinha onde os pães são produzidos, e atuam diariamente da compra de insumos, administração do negócio, produção e entrega das encomendas. “Vamos adequando e melhorando nossa estrutura para dar conta dos mais de dois mil pacotes de Não de Queijo vendidos mensalmente.”

Aliás, esta produção que hoje chega à venda em diversas lojas de produtos naturais do Paraná e Santa Catarina, com preço em torno de R$ 12 o pacote de  400 gramas, só foi possível depois que Edineri promoveu mais de 100 testes de prova com amigos e conhecidos que não possuíam restrições alimentares e apreciavam o tradicional pão de queijo mineiro. Aprovado, o teste de fogo foi há mais de três anos, em uma feira para celíacos, da Associação dos Celíacos do Paraná (ACELPAR). Tudo foi vendido.

Receita de bolo vegano de cenoura

Versões tradicional e alho com ervas estão disponíveis nas principais lojas de produtos naturais. Foto: Fernando Zequinão / Gazeta do Povo

Versões tradicional e alho com ervas estão disponíveis nas principais lojas de produtos naturais. Foto: Fernando Zequinão / Gazeta do Povo

Experiência

Os sócios, que também formam um casal, vêm de profissões distantes da cozinha. Ela, farmacêutica. Ele, engenheiro mecânico. Mas, o gosto por cozinhar sempre esteve presente na vida dos dois. “Antes de fazer faculdade, fiz o curso de chef no Centro Europeu, na primeira turma. Depois fui para a Inglaterra, onde trabalhei em diversas cozinhas”, conta Paulo. Quando decidiram casar, resolveram fazer os doces do evento.

“Quando encontrávamos o que nos agradava, era fora do orçamento”, contam. Da experiência positiva – conseguiram fazer a tarefa sem brigas e com resultados além do esperado – perceberam que poderiam trabalhar juntos. Como Paulo havia sido despedido de uma multinacional, depois do casamento resolveram aprimorar os conhecimentos na gastronomia italiana, com as massas. “Mas, nos desentendemos com a pessoa que era mentora na proposta.” Foi quando iniciaram as pesquisas nos produtos celíacos. Uma informação importante: a família do Paulo é de Minas Gerais e, por isso, o pão de queijo foi o ponto de partida para o Não de Queijo.

Edineri e Paulo, responsáveis pela criação do Não de Queijo. Foto: Fernando Zequinão / Gazeta do Povo

Edineri e Paulo, responsáveis pela criação do Não de Queijo. Foto: Fernando Zequinão / Gazeta do Povo

Para 2019 a proposta é ampliar os produtos, com novas linhas, e nessa nova proposta, vão ampliar a fábrica, em novo endereço. Mas a proposta dos produtos continua para os celíacos. Cientes da seriedade da produção para este público, os detalhes da produção incluem ambiente livre de contaminação cruzada, incluindo a certificação dos fornecedores, para que não haja nenhum problema no consumo. Um dos detalhes é a troca, em breve, do óleo de girassol pela gordura de palma.

Compartilhe

8 recomendações para você