Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Prepara comida
O preparo de marmitas foi o caminho encontrado por diversos microempreendedores individuais em 2020.| Foto: Louis Hansel/Unsplash

A pandemia do coronavírus no Brasil fez aumentar em pouco mais de 20% o número de microempreendedores individuais atuando em diversos setores da economia, principalmente na área de alimentação. São pessoas que foram desligadas de empresas que fecharam as portas ao longo de 2020 e viram no empreendedorismo uma saída para tentar manter as contas em dia.

Segundo dados da Receita Federal, o número de MEIs deu um salto de 9,8 milhões em março de 2020 para 11,2 milhões em fevereiro de 2021. Destes, mais de 400 mil são de microempreendedores individuais voltados à produção de alimentos, como preparo de marmitas, pizzas e delivery para o consumo domiciliar. Mas, há ainda um número incontável de pessoas que passaram a preparar comida em casa por conta própria.

Para ajudar estes trabalhadores a formalizarem seus negócios e os que já estão cadastrados a profissionalizarem as operações, o Sebrae e uma parceria de empresas do setor produtivo criaram o programa Crescendo Juntos Microempreendedor, uma iniciativa que já está recebendo inscrições neste primeiro momento nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.

A ação oferece capacitação, soluções e parcerias de digitalização e microcrédito para quem atua de forma individual neste segmento da economia, independente do produto oferecido. São disponibilizados conteúdos de gestão e histórias inspiradoras de empreendedorismo, abordando temas como vendas, formalização, protocolos de segurança, digitalização e acesso a crédito, além de um calendário de lives, webinars, cursos através do WhatsApp, assessorias e atividades de capacitação.

Pelo menos 110 mil pequenos negócios dos três estados serão impactados de forma gratuita nesta primeira fase. Há apenas o condicionante de se consumir os produtos de uma das empresas apoiadoras da ação.

“Pretendemos, com essa ação, despertar a importância da formalização, de seguir os protocolos de segurança e de como manusear corretamente os alimentos. O projeto também pretende incentivar o empreendedorismo feminino”, explica Adriana Menegaz, analista do Conexões Corporativas do Sebrae, divisão da entidade que participa do programa.

De acordo com o Sebrae, o programa permite que os microempreendedores criem suas lojas online de forma simples e gratuita através da plataforma WabiShop. Já para o acesso a crédito, o Crescendo Juntos Microempreendedor estabeleceu uma parceria de divulgação com a Avante Microcrédito, uma fintech de impacto social conhecida por ter processos de análise e concessão de crédito realizados totalmente online para micro e pequenas empresas.

Profissionalização

A inscrição no programa de capacitação de microempreendedores individuais pode ser feita por uma única pessoa ou em grupo, como fizeram os mais de 600 participantes da Associação de Comida e Bebida de Rua de São Paulo (Acor-SP). Este segmento conhecido pela atuação individual dos ambulantes teve uma quebra de movimento considerável nos primeiros meses de pandemia, quando o comércio se fechou por conta das medidas de distanciamento social.

Dono de uma barraquinha de hambúrguer há mais de 12 anos em São Paulo, Douglas Guilherme explica que o projeto inclusive ajudou a dar mais visibilidade à comida de rua, melhorando o processo de produção.

“Ações como esta são sempre muito bem-vindas e nos ajudam na profissionalização do nosso negócio”, explica o vendedor que também é presidente da Acor-SP.

Para Pedro Massa, vice-presidente de operações da Coca-Cola Brasil, uma das empresas participantes do projeto, a pandemia provocou o fechamento de milhares de empresas em todo o Brasil, o que levou desempregados a empreenderem por necessidade. E isso provocou um aumento expressivo no número de microempreendedores individuais.

“Queremos ajudar esse público que integra ou está em torno de nossa cadeia. É um novo programa para fortalecer o diálogo, o relacionamento e a parceria com micro e pequenos empreendedores”, diz.

A iniciativa é formada pelo Sebrae em parceria com o sistema Coca-Cola Brasil /Femsa e Solar, a rede de varejo Atacadão, a Aliança Empreendedora e a Avante Microcrédito. Também participam entidades de classe dos microempreendedores, como a Associação Nacional das Baianas do Acarajé (ABAM) e a Associação de Comida e Bebida de Rua do Estado de São Paulo (Acor-SP).

Como participar

Para participar do programa, os interessados devem entrar no site do Crescendo Juntos Microempreendedor (clique aqui) e baixar o aplicativo. Dentro dele é possível conferir os conteúdos e, ainda, juntar pontos para trocar por produtos para a estrutura do negócio, como mesas, cadeiras, guarda-sóis, entre outros.

Segundo o Ministério da Economia, os microempreendedores individuais correspondem a 56,6% das empresas abertas no país ao longo de 2020 – foram 19,9 milhões de novos negócios.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]