Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Restaurante aberto
Restaurantes foram fortemente impactados e tiveram que se reinventar, além de se adaptar a protocolos mais rígidos de higiene e segurança.| Foto: Norbert Ritli/Unsplash

Na pandemia, tudo mudou. Muitas expectativas, tendências e padrões de comportamento foram por água abaixo e o mundo que conhecíamos virou do avesso.

Enquanto boa parte das grandes companhias conseguia utilizar recursos para abrir novos canais de vendas, investir em infraestrutura e produtos que atendessem à demanda de uma população trancada em casa, as micro, pequenas e médias patinaram ao perder receita e precisaram de muita resiliência e criatividade para se manterem no mercado.

Um exemplo disso foram os estabelecimentos que fazem parte do ramo classificado pelo IBGE como “Serviços Prestados às Famílias”, que abrange bares, restaurantes, lanchonetes, cinemas, hotelarias e outros. Esses segmentos foram fortemente impactados e tiveram que se reinventar, além de se adaptar a protocolos mais rígidos de higiene e segurança para continuarem ativos, tanto para buscar novos clientes quanto para entregar seus produtos.

Só em 2020, mais de dois milhões de empresas foram abertas, segundo a Serasa Experian. Se foram criadas por oportunidade ou por necessidade, neste momento, não importa: é preciso continuar se reinventando, investindo em negociações via internet e, principalmente, atuando de forma precisa para conquistar novos clientes, negociar com segurança e evitar a inadimplência. Há também a necessidade de investimento em saúde e segurança, uma vez que atuar de acordo com as regras sanitárias vigentes é uma condição para a continuidade dos negócios.

Em momentos de incertezas como esse, é fundamental também estancar todo e qualquer vazamento de recursos. Rever fornecedores, prazos e juros de dívidas, reduzir o estoque e repensar o modelo de vendas são algumas maneiras. Lembre-se que uma negociação malfeita traz consigo uma maior probabilidade de inadimplência ou fraude e ainda pode fazer com que se percam ótimas oportunidades. É extremamente importante que o empresário entenda que a prospecção, a negociação, o monitoramento e a cobrança estão intimamente ligados e o desequilíbrio de uma etapa afeta as demais.

Além de se pensar na economia de recursos, é fundamental também criar uma boa estratégia para aumentar a receita. Existe uma oportunidade muito relevante que pode ser explorada especialmente pelas PMEs: as datas comemorativas e períodos sazonais, como dia das mães, namorados, férias escolares, dia dos pais, das crianças, black friday, natal, ano novo, férias de verão e por aí vai. Essas datas devem ser aproveitadas com muitas promoções, comunicações específicas, pacotes especiais, combos, cestas especiais, pratos diferentes, etc.

Por fim, vale ressaltar que quem precisa se reerguer deve começar já a reestruturar a empresa, desenvolvendo um planejamento financeiro realista, renovando o plano de negócios e buscando negociações mais precisas. É importante ainda o apoio aos pequenos e médios empreendedores em fases tão importantes à saúde financeira do empreendimento, como monitoramento do próprio CNPJ e da carteira de clientes e fornecedores, cobrança de inadimplentes e, se for o caso, renegociação de dívidas.

Por fim, cabe às empresas e sociedade participar ativamente da recuperação das PMEs, dando suporte ou consumindo do pequeno sempre que possível, para manter uma economia próspera e saudável para todos. Aposte na retomada e vá em frente. Vamos fazer um 2021 de transformação e sucesso!

*Cleber Genero é vice-presidente de Pequenas e Médias Empresas e Identidade Digital da Serasa Experian.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]