Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Plantação de goiaba em Carlópolis.
Goiaba de Carlópolis (PR), é um dos produtos que têm certificação de Identificação Geográfica.| Foto: Jaelson Lucas / AEN

Sabe quando um lugar se torna conhecido devido à qualidade de um produto artesanal que só se encontra lá? O Brasil é repleto de exemplos assim – o café de Minas Gerais, o cacau da Bahia, goiaba do Paraná e os vinhos do Rio Grande do Sul são alguns dos mais populares.

Essas regiões e cidades brasileiras que ganharam notoriedade pela produção de artigos ligados à história, à tradição e à biodiversidade locais agora estão reunidas e mapeadas no recém-lançado portal Sebrae Origens.

Resultado de um trabalho de quatro décadas, que percorreu todos os cantos do Brasil, o novo portal do Sebrae elenca todas as 77 localidades que, até o momento, receberam o selo de Indicações Geográficas (IGs), modalidade de reconhecimento de procedência do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). É possível navegar por estados e regiões e também por categorias – Alimentos, Bebidas e Artesanatos.

A riqueza gastronômica única do Brasil fica evidente logo no primeiro acesso ao portal. O site cataloga o que há de melhor e mais tradicional entre frutas, especiarias, quitutes e iguarias que só o Brasil oferece. Ao clicar em cada produto, o visitante tem acesso à história da região produtora, além de dados técnicos da certificação de Identificação Geográfica.

Passeando pelo Sebrae Origens, é possível encontrar as nove IGs conquistadas pelo Paraná: o mel do Oeste, a goiaba de Carlópolis, o mel de Ortigueira, o queijo de Witmarsum, a erva-mate São Mateus do Sul, as uvas finas de Marialva, o café do Norte Pioneiro, o melado de Capanema e a bala de banana de Antonina, que recebeu a Indicação de Procedência (IP) no final de 2020 (e que em breve estarão no portal).

O site, que também será de grande utilidade turística assim que a pandemia permitir, terá atualizações constantes, à medida que novas Indicações Geográficas sejam reconhecidas pelo INPI. Há ainda planos para versões em outros idiomas, como espanhol e inglês, a fim de levar ainda mais longe a herança histórico-cultural dos mais genuínos tesouros brasileiros.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]