Baixa Gastronomia

Baixa Gastronomia

Cozinheiro sírio faz um shawarma “responsa” nos fundos da Catedral de Curitiba

Os colunistas do Bom Gourmet visitaram o Al Beek. Confira o que eles acharam do lugar:

por Rafael Martins e Guilherme Caldas, colunistas do Bom Gourmet Publicado em 10/11/2017 às 09h
Compartilhe

Não que o centro de Curitiba careça de boa comida árabe, mas a Equipe Baixa Gastronomia (EBG) acaba de adicionar um novo shawarma à sua lista de preferidos. Entre as várias lanchonetes dos pontos de ônibus da Travessa Nestor de Castro, funciona, há três anos, o Al Beek.

Shawarma do restaurante árabe Al Beek no Centro de Curitiba. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Shawarma preparado pelo sírio Wissam. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo.

LEIA TAMBÉM:

Conheça o Baba Salim, o árabe mais famoso do Centro, eleito melhor boteco de Curitiba

Conheça dois restaurantes árabes em Curitiba comandados por refugiados sírios

 

Com cinco anos de Brasil, o sírio Wissam é quem comanda os espetos de onde saem os sandubas nas versões carne — nosso preferido — e frango.

O shawarma, além de bem servido e barateza, sai rápido, mas se o freguês tem pressa, pode pedir uma esfiha aberta de chanclich (queijo tradicional da Síria e do Líbano) da casa, nosso destaque no balcão de salgados.

esfiha de chanclich do restaurante árabe Al Beek em Curitiba. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Esfiha de chanclich. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

 

Preço: shawarma de carne por R$ 14 e esfiha aberta de chanclich por R$ 4,50

Compartilhe

8 recomendações para você