Bebidas

Artesanal

Way vai representar o BR em evento na Dinamarca

A cervejaria paranaense é a única convidada da América Latina e levará oito rótulos

por Priscila Bueno, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 21/04/2015 às 22h
Compartilhe

O Paraná sai na frente em termos de cervejas especiais. A cervejaria paranaense Way Beer vai para a Dicamarca, no mês de maio, representar a América Latina na Copenhagen Beer Celebration 2015. A feira é organizada pela cervejaria cigana Mikkeler (criada pelo dinamarquês Mikkel Borg). Essa será a terceira vez consecutiva que a Way Beer participa do encontro. Para o mundo da cerveja artesanal, o evento é comparado ao que o Salão do Automóvel de Frankfurt é para o automobilismo.

Alejandro Winocur, sócio-fundador da Way Beer, conta que uma das regras para participar da feira é que os donos sirvam pessoalmente os participantes do evento. Os ingressos são tão disputados que em 15 minutos de venda, todos se esgotaram.

A empresa vai levar oito rótulos, sendo que apenas dois estão disponíveis comercialmente. A cervejaria apresentou à equipe do Bom Gourmet quais as cervejas foram escolhidas para a viagem, em uma degustação exclusiva no Núcleo Estilo de Vida da Gazeta do Povo. Entre elas, bebidas feitas com araçá, butiá, envelhecidas em barris de cachaça e de Bourbon. Confira quais são:

Highway Way to Hop’ n Roll

Cerveja colaborativa com o Hop’ n Roll Beer Club. Tem aroma de araçá, pois tem de 5% a 10% da fruta, colhida em Tijucas do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. Tem 5,6% de álcool e baixo amargor. Disponível comercialmente.

Farm House Ale Butiá

Feita com a fruta também colhida em Tijucas do Sul. Nesse caso, o butiá é desidratado e somente a polpa é usada. Tem 6,4% de teor alcoólico e mais açúcar residual. Em cerca de 90 dias estará no mercado uma versão que passa por segunda fermentação. O processo vai resultar em menor percepção do açúcar e aroma mais aflorado.

Purple High 5

Ffeita com 250 quilos de amora colhidas em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. Foi usado um quilo da fruta para cada litro da bebida. Segundo Alejandro, o processo foi bem complexo porque ela fermentou com bactérias em ambiente controlado. Maturou em barris que antigamente haviam envelhecido uma cachaça. Se aproxima de uma Sour.

Cider IPA

Tem 45% de maçã e 55% de malte. Foi lançada no último Festival de Cerveja de Blumenau. O chope está disponível em alguns bares.

Eat my Berries

Feita com amora, morango e mirtilo. Foram três processos de fermentação que ocorreram de forma separada. Ela demorou seis meses para ser experimentada e mais de dois anos para ficar pronta.

Sour Barley Wine

Tem 12% de graduação alcoólica e malte torrado. Demorou 2 anos e meio para ficar pronta. Passou por barris de Bourbon e de cachaça.

Amburana Barley Wine

Tem 14% de graduação alcoólica. Passou por um barril novo de amburana. Tem um sabor mais doce.

Triple Wood Aged

São três cervejas que foram maturadas em barris de amburana, castanheira e araribá por períodos de 8 a 18 meses. Depois, as três foram misturadas. Ela pode ser tomada como um licor. Tem 15,5% de álcool.

Compartilhe

8 recomendações para você