Ben Affleck e Jeremy Renner (os dois do meio) lideram uma gangue de assaltantes de bancos e de carros fortes | Divulgação
Ben Affleck e Jeremy Renner (os dois do meio) lideram uma gangue de assaltantes de bancos e de carros fortes| Foto: Divulgação

Há algum tempo rola uma piada em Hollywood: Matt Damon teria ditado e Ben Affleck digitado o roteiro de Gênio Indomável, filme de Gus Van Sant que deu aos dois o Oscar de me­­lhor script original em 1998. Isso tudo porque Affleck, por anos, fez uma sucessão de filmes muito ruins (Pearl Harbor e O Demolidor são alguns exemplos) e alimentou a fama de ser a metade menos talentosa da dupla. Mas isso está mudando.

Atração Perigosa, genérico tí­­tulo brasileiro de The Town (A Cidade), em cartaz desde sexta-feira nos cinemas brasileiros, é um drama policial acima da mé­­dia. Elogiado pela crítica norte-americana, como já havia sido seu longa-metragem de estreia, Medo da Verdade, baseado no livro Gone, Baby Gone, de Dennis Lehane, o segundo filme de Affleck tem agora um diferencial em relação a seu antecessor: está fazendo sucesso de bilheteria, tendo ultrapassado US$ 80 milhões.

Com uma trama envolvente, que dá sinais de que o astro hol­­ly­­woodiano tem futuro como cineasta, o filme gira em torno de uma gangue de ladrões mascarados de bancos e carros-fortes. O grupo é formado por moradores de um bairro da classe trabalhadora de origem irlandesa da Grande Boston. Affleck vive Doug, o chefe, que no início do filme, ao lado de seus comparsas, rende os funcionários de uma agência bancária próxima ao campus da Universidade de Harvard. Os assaltantes acabam levando como refém Claire, a gerente do banco, vivida por Rebecca Hall, de Vicky Cristina Barcelona.

Desse encontro entre os personagens de Affleck e Rebecca, surge a tal atração perigosa que dá título ao filme no Brasil.

Mais do que uma trama envolvente e bem amarrada, o segundo longa de Affleck acerta, assim como Sobre Meninos e Lobos, filme de Clint Eastwood também rodado em Boston e baseado em um romance de Dennis Lehane, ao mostrar as entranhas do crime organizado num bairro com fortes cores étnicas e códigos de honra muito peculiares, onde a contravenção é atividade exercida por sucessivas gerações.

Affleck, nascido na cidade, demonstra conhecer bem essa geografia, que vai além de mero cenário e ganha vida e complexidade na tela. Vale a pena prestar atenção em Jeremy Renner, indicado ao Oscar de melhor ator deste ano por seu desempenho como o desarmador de bombas em Guerra ao Terror. É dele a melhor atuação do filme, como James, o mais violento e destemperado da gangue de Doug. GGG

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]