i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Música

Carla Bruni canta “Little French Songs” em dois shows no Brasil

Cantora se autodefine como uma “otimista melancólica” e se apresenta em São Paulo e Porto Alegre

  • PorAgência O Globo
  • Paris
  • 18/08/2015 17:53
Carla é casada com o ex-presidente da França Nicolas Sarkozy. | Remi Jouan/Creative Commons
Carla é casada com o ex-presidente da França Nicolas Sarkozy.| Foto: Remi Jouan/Creative Commons

A franco-italiana Carla Bruni, 47 anos, é um rosto conhecido como modelo e ícone de marcas de luxo, mas é também a voz de uma cantora e compositora de sucesso. A música-título de seu álbum de estreia, “Quelqu’un m’a dit”, lançado em 2002, foi cantarolada pelos quatro cantos do planeta.

A aventura musical consolidou-se em uma carreira reconhecida, só interrompida quando assumiu o papel de primeira-dama da França, entre 2007 e 2012, como mulher do então presidente Nicolas Sarkozy.

Artista diz ser “solitária e misantrópica”

A vivência no palco, Carla Bruni prefere reservar para os outros: não gosta de ver a si mesma em DVDs ou na TV, para evitar decepções

Leia a matéria completa

Com quatro discos gravados – e mais dois em preparação – e muitas milhas percorridas em turnês internacionais, a “otimista melancólica” Carla Bruni, como se autodefine, apresenta-se nespela primeira vez no Brasil, em Porto Alegre (no próximo dia 24) e em São Paulo (26).

Discos

Carla Bruni está com dois novos álbuns em gestação, um de novas composições francesas e outro de canções americanas, que terá “antigos blues, country e algumas outras coisas”.

Dylan

Ela ouviu o último disco de Bob Dylan, “Shadows in the Night”, com o songbook de Frank Sinatra. “As pessoas dizem que ele não canta bem. Para mim, canta divinamente bem”, diz.

Melancolia

Ela diz ser “otimista melancólica”. “Adoro a melancolia. Mas ainda assim sou uma otimista. A melancolia é geralmente o passado redesenhado, uma maneira muito suave de ser triste.”

O país possui um significado especial para ela, por razões musicais e sentimentais. Aos 28 anos, descobriu a existência de seu pai biológico, Maurizio Remmert, que vive há quase 40 anos no Brasil. Além disso, Carla sempre se sentiu atraída pelos ritmos brasileiros, principalmente a bossa nova.

Para uma ilha deserta, diz sem hesitar que levaria canções como “Águas de março”, interpretada por Tom Jobim e Elis Regina, ou “Samba em prelúdio”, de Vinicius de Moraes e Baden Powell. A primeira delas, aliás, na versão francesa de Georges Moustaki (1934-2013), poderá ser uma das surpresas de seus shows no Brasil – ao lado do tecladista Cyril Barbessol e do guitarrista Taofik Farah –, balizados em seu mais recente CD, “Little French Songs” (2013), de 11 títulos intimistas cantados em francês, inglês e italiano.

“Espero preparar algo especial para o público brasileiro. Moustaki fez uma linda versão de “Águas de março”, um belo texto, que adoro. É mais fácil para mim cantar em francês, em português já é mais complicado. Pode ser uma opção”, diz por telefone de Murtoli, no sul da Córsega, onde passa os últimos dias de férias em família.

Carla Bruni – Little French Songs

Em Porto Alegre, dia 24, às 21 horas, no Teatro do Bourbon Country (Bourbon Shopping Country – R. Tulio de Rose, 80), (51) 3375-3700. Ingressos de R$ 160 a R$ 450. Em São Paulo, dia 26, às 21 horas, no Teatro Bradesco (Shopping Bourbon São Paulo – R. Palestra Itália, 500), (11) 3670-4100. Ingressos de R$ 160 a R$ 480.

No Brasil, o pai estará presente na plateia, assim como o marido, que decidiu acompanhá-la na viagem, e que também é, segundo ela, um bom conselheiro em turnês.

“Ele não entra nos detalhes musicais, mas faz observações muito boas sobre o resto, a performance, a ordem das músicas. É um melômano, apaixonado por música. Sua preferência é pela canção francesa. Já eu sou mais aberta a tudo, escuto de The Clash a Chopin. Mais recentemente, tenho curtido muito Christine and The Queens e Stromae, eles possuem um frescor, uma força nova”, diz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.