Sérgio Albach é um dos mais respeitados, criativos e produtivos músicos do país | Divulgação
Sérgio Albach é um dos mais respeitados, criativos e produtivos músicos do país| Foto: Divulgação

Trabalhar, trabalhar e trabalhar. Fica mais fácil quando se trabalha com prazer – não, engraçadinho, aquele trabalho mais antigo do mundo, se você pensou nele, não é feito com prazer. Estou falando de música e de um músico que tem trabalhado muito, para o prazer dele e para o nosso. Estou falando de Sérgio Albach, clarinetista, um dos mais respeitados, criativos, competentes e produtivos músicos do Brasil. Neste ano, ele já coordenou a Oficina de Música de Curitiba e, com seu companheiro de Oficina, o baixista Glauco Sölter, e o percussionista Vina Lacerda, está lapidando o Mano a Mano Trio; é o responsável pela Orquestra à Base de Sopro, da Fundação Cultural de Curitiba, que vai lançar CD e, em setembro, gravar um DVD com a participação especial de Arrigo Barnabé, que escreveu uma obra especialmente para a Orquestra. Como se não bastasse, está gravando seu próprio CD com músicas que outros compositores escreveram para ele.

É pouco? Em 24 de junho toca em Curitiba com Altamiro Carrilho no lançamento de uma coleção de DVDs do maior flautista do Brasil. Além disso, organiza rodas de choro e participa de CDs, concertos, espetáculos musicais e teatrais, produz arranjos e compõe. Ufa!

Vamos deixar ele mesmo falar um pouco de alguns projetos:

Mano a Mano Trio – "Eu e o Glauco (Sölter) temos o Mano a Mano desde 2005 mais ou menos, e agora convidamos o Vina (Lacerda), percussionista, para entrar na roda. Vamos tocar dia 21 de maio no Göethe. Com certeza, para alçar voos mais arrojados. Estamos montando um repertório, com arranjos feitos nos ensaios, meio banda de garagem, mas não é só chegar e tocar. Claro que fazemos isso também, mas estamos no meio de um processo de trabalho. Quer ouvir um pouco: www.myspace.com/manoamanotrio."

Orquestra à Base de Sopro – "‘A Metamorfose’ é uma obra escrita pelo Arrigo Barnabé diretamente para a orquestra, uma composição. Foi encomendada pela orquestra. Ele escreveu desde o início pensando na nossa formação. Isso foi em 2006 e agora vamos gravar. A gente, na sequência do concerto, toca a saga do Clara Crocodilo também: ‘Acapuloco Drive-in’, ‘Office-boy’, ‘Infortúnio’, ‘Sabor de Veneno’, ‘Clara Crocodilo’, ‘Diversões Eletrônicas’ e ‘Orgasmo Total’. O CD é resultado de alguns anos. Fizemos este show em 2006 e gravamos no ano passado, em julho! Acabei a primeira edição hoje de manhã (dia 7 de maio) no Trilhas Urbanas. Ainda temos que incluir solos, mixagem, masterização etc. Não temos previsão de lançamento deste trabalho, mas vamos jogar na internet tudo o que for ficando pronto, no meu www.virb.com/sergioalbach. Faremos este show em setembro, provavelmente sem o CD, não será um lançamento. Além disso, estamos no processo final de um CD com músicas próprias, intitulado Nossos Compositores. Temos três faixas prontas no meu, www.virb.com/sergioalbach. Da uma ouvida: ‘Laranja’, ‘Divertimento’ e ‘Roubando Cachecóis’." CD próprio – "O repertório do meu CD será formado de músicas que foram compostas para mim ou para que eu tocasse. Estamos trabalhando neste repertório há quase um ano. Eu vou gravar com o Trio de Ouro Catuaba Brasil: Daniel Miglivacca (bandolim), Tiziu (violão de sete cordas) e Cristina Loureiro (pandeiro). Os compositores são Waltel Branco, Luciano Lima, Vicente Ribeiro, Claudio Menandro, Scheibel, Osiel Fonseca, João Egashira, Tiziu, Julião Bohemio, Daniel Migliavacca, Luis Otávio Almeida, Mané Silveira e Gabriel Schwartz (que vai dirigir a gravação também). Talvez eu regrave o ‘Segura o Sérgio’, que o Waltel fez pra mim. Mas, como ele fez outra música (olha que chique), eu pretendo gravá-la, só que ele ainda não me entregou (coisas de Waltel). Gravo na sequência, em junho. Iremos fazer um concerto em maio tocando o CD todo, já estamos ensaiando desde o ano passado. Mesmo assim não estou com pressa pra lançar o CD, é pela Lei [Lei Municipal de Incentivo à Cultura], já está tudo captado e tenho dois anos pra terminar."

Se Albach acha muito? Ele mesmo responde: "Quando a gente vê, está realizando, mas tudo está sob controle, são projetos que vêm caminhando organizadamente."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]