O site de celebridades TMZ.com anunciou nesta segunda-feira (7) que a decisão sobre a sentença do ator Charlie Sheen em um caso de violência doméstica foi adiada.

"Precisamos de mais tempo do que o que está disponível para completar alguns dos pontos mais específicos [sobre o acordo]", disse o promotor Arnold Mordkin na corte, ainda de acordo com o site. Uma nova audiência deve ocorrer em 12 de julho.

"[O acordo] esbarrou em um problema", afirmou a repórteres na saída da corte Mordkin. "Não vou falar sobre isso."

O advogado de Sheen, Yale Galanter, disse que o ator ficou desapontado com o impasse. "Todas as partes colocaram esse acordo de pé de boa fé, mas atritos menores surgiram", afirmou sem especificar quais.

Sheen chegou por volta das 19h25 ao tribunal da cidade de Aspen, no Colorado, onde receberia a sentença pela acusação de agredir sua mulher, Brooker Mueller. A audiência estava marcada para as 20h (horário de Brasília).

De acordo com o advogado da esposa de Sheen, ele deveria se declarar culpado de uma acusação de gravidade menor e cumprir uma sentença de 30 dias, com direito a deixar a prisão para trabalhar em uma escola de teatro próxima ao local. Ele pode ser liberado por bom comportamento em pouco mais de duas semanas. Após esse período, ele deve passar mais três meses em liberdade condicional.

O acordo do astro do seriado "Two and a half men" com o advogado de sua esposa já havia sido anunciado na semana passada.

Sheen, no entanto, deveria se declarar inocente de outras acusações mais graves - ameaça, conduta criminosa e agressão -, que poderiam colocá-lo na cadeia por até três anos.

Briga no Natal

Charlie Sheen foi preso no Natal do ano passado quando passava férias com a família na estação de esqui de Aspen, no Colorado. Segundo um boletim oficial, a polícia recebeu uma chamada de emergência às 8h34 (13h34, em Brasília) relatando "uma situação de violência doméstica". A vítima era a mulher do ator, que o acusou de apertar uma faca contra o seu pescoço e ameaçar matá-la durante uma briga.

Na ocasião, Sheen pagou uma fiança de US$ 8.500 e foi libertado com a condição de voltar ao tribunal de Aspen para nova audiência. Em março, ele se declarou inocente. Um novo julgamento estava previsto para a partir de julho, mas uma eventual declaração de culpa permite uma resolução mais rápida, segundo os termos da negociação, tal como estabelece a lei americana.

Tanto Sheen como sua mulher entraram em clínicas de reabilitação após o incidente. O ator também teve de participar de um grupo de ajuda para controlar a raiva.

Sheen é filho do ator Martin Sheen e irmão do também ator Emilio Estevez. Atualmente, ele interpreta o personagem Charlie Harper na série de televisão "Two and a half men", um solteirão mulherengo que vive com o irmão e o sobrinho. Ele é atualmente o ator mais bem pago da televisão americana, com um salário de cerca de US$ 1,8 milhões por episódio.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]