i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Visuais

Lego pode ficar sem blocos de brinquedo até o natal

Fábricas trabalham com capacidade máxima, mas demanda pelo mundo é grande demais

    • Copenhague
    • Reuters
    • 21/10/2015 10:12
     | Alan Chia/Wikimedia Commons
    | Foto: Alan Chia/Wikimedia Commons

    Algumas crianças podem não ter seus desejos de natal realizados neste ano, pois as fábricas da Lego, embora estejam operando em sua capacidade máxima, podem não conseguir fabricar blocos de plástico em número suficiente para atender a demanda das lojas de brinquedo da Europa.

    A empresa dinamarquesa se tornou a maior fabricante de brinquedos do mundo em vendas, superando a norte-americana Mattel, que fabrica as bonecas Barbie, graças, em parte, a brinquedos ligados a filmes, como “Uma Aventura Lego”. Mas as dificuldades em prever a demanda de forma precisa significa que alguns pedidos não serão atendidos a tempo.

    “Não vamos conseguir entregar todos os pedidos de clientes que estão chegando no restante do ano”, disse o porta-voz Roar Trangbaek à Reuters. Ele se recusou a informar quais linhas de brinquedos e quais países europeus serão afetados. Trangbaek disse que a empresa terá capacidade de atender os pedidos que já recebeu, mas deverá ter problema em atender a novas encomendas ainda neste ano.

    “É realmente extraordinário e superou tanto as nossas previsões quanto as de nossos clientes”, disse Trangbaek quando indagado sobre os motivos que levaram a companhia a não prever a alta demanda.

    As vendas da Lego cresceram 18 por cento na primeira metade deste ano, para 14 bilhões de coroas dinamarquesas (2,1 bilhões de dólares), colocando-a à frente da Mattel e da Hasbro, fabricante do jogo de tabuleiro Monopoly, cujas receitas foram de 1,9 bilhão de dólares e 1,5 bilhão de dólares, respectivamente.

    “Estamos operando nossas fábricas na capacidade máxima e vamos fazer tudo que pudermos para atender à demanda”, disse Trangbaek.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.