i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
SHOW

Chitãozinho e Xororó cantam Tom Jobim em Curitiba

Dupla apresenta o repertório do disco “Tom do Sertão”, em que relê canções do maestro da bossa nova mais ligadas ao mundo sertanejo

  • PorGazeta do Povo
  • 21/10/2015 12:21
Cantores interpretam clássicos como “Chega de Saudade”, “Eu Sei que Vou te Amar” e “Águas de Março”. | /Divulgação
Cantores interpretam clássicos como “Chega de Saudade”, “Eu Sei que Vou te Amar” e “Águas de Março”.| Foto: /Divulgação

A dupla Chitãozinho & Xororó chega a Curitiba neste sábado (24) com o show de seu álbum mais recente, “Tom do Sertão”. Eles se apresentam no Teatro Positivo, às 21h30.

O disco, lançado em janeiro, traz releituras dos cantores sertanejos para canções de Antônio Carlos Jobim (1927-1994) mais identificadas com o mundo sertanejo, como as bucólicas “Chovendo na Roseira”, “Correnteza” (com Luiz Bonfá), “Estrada Branca” e “Caminho de Pedra” (as duas últimas em parceria com Vinicius de Moraes).

Álbum traz versões da obra de Jobim com sonoridade mais pop misturada a elementos da música caipira e da bossa nova. Divulgação

Na mesma toada, resgatam seus próprios sucessos com esta temática durante o show, como “No Rancho Fundo”, além de relembrar os principais sucessos de sua história, incluindo “Fio de Cabelo”. O show ainda inclui as canções “Disparada” (Geraldo Vandré e Théo de Barros) e “Como Nossos Pais” (Belchior).

Tom

Nascidos em Astorga (PR), Chitãozinho e Xororó cresceram mais familiarizados com ícones da música caipira como Tonico & Tinoco do que com a onda modernizante da bossa nova capitaneada por Jobim e João Gilberto no Rio de Janeiro dos anos 50 e 60.

Nos últimos anos, no entanto, a dupla já havia mostrado interesse em se aproximar de outros terrenos musicais – como fez no show comemorativo aos seus 40 anos, em 2011, quando cantou acompanhada por uma orquestra e chamou convidados como Caetano Veloso e Djavan.

Mais próximo da obra do maestro por intermédio da filha, Sandy, Xororó deu a ideia de mergulhar na obra de Tom, o que foi logo aceito por Chitãozinho, que deu nome ao projeto.

SHOW

Chitãozinho & Xororó

Teatro Positivo – Grande Auditório (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300), (41) 3317-3283. Dia 24, às 21h30. Os ingressos custam entre R$ 101 (meia-entrada) e R$ 706 (inteira), de acordo com o setor. Assinantes da Gazeta do Povo têm desconto de 50% na compra de até quatro ingressos.

Lançando mão de arranjos mais pop e de elementos musicais da música caipira e da bossa nova, a dupla não deixou de fora composições como “Chega de Saudade”, “Eu Sei que Vou te Amar” e “Águas de Março”.

Veja o clipe de “Correnteza”:
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.