i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
cartaS de portugal

Pequenos códigos

  • PorMiguel Sanches Neto
  • 10/05/2016 00:00
 | Miguel Nicolau/Especial para a Gazeta do Povo
| Foto: Miguel Nicolau/Especial para a Gazeta do Povo

Para lembrar o dia da Língua Portuguesa (5 de maio), algumas particularidades lusitanas

1.

Na banca de verdura:

– Ó, m´nina, dê-me um pé de salada.

E a senhorinha sai com uma alface, que aqui é vendida por quilo.

2.

No mercado de camelôs:

– Um eurinho por vinte e quatro molas.

Olho a mão da vendedora para ver o que são molas. São os prendedores de roupa. Ou pregadores, como se dizia na minha infância.

A mesma mulher grita:

– Paninhos de secar loiça.

Os nossos panos de prato.

3.

Atendendo o telemóvel (isto é, o celular):

– Tooooou!

Não se diz jamais alô. E a sílaba alongada é para não deixar dúvidas de que, sim, há alguém atendendo o aparelho.

O fim da ligação, ao contrário, é redundante. A pessoa repete duas ou três vezes:

– Pronto, com licença. Pronto, com licença.

4.

Na academia que, aliás, são chamadas de ginásios, a instrutora se aproxima e diz que estou fazendo o exercício de forma errada:

– O senhor precisa abaixar um pouco mais a rabiocha.

5.

Fazendo cadastro:

– O senhor Miguel poderia informar a porta?

Demorei para entender que queriam o número de minha casa.

6.

No correio, preencho envelope com o destinatário na frente e o remetente no verso.

– Isto está mal, muito mal – diz a funcionária.

O remetente deve ir na parte de cima e o destinatário na de baixo da face principal do envelope. Ela risca tudo, arrumando as informações e balançando negativamente a cabeça.

7.

Você está no meio de uma conversa com a pessoa e ela começa a repetir:

– Tá bein, tá bein, tá bein.

Não é para você parar, apenas uma forma de concordar com o que você está dizendo.

8.

No bar, peço um chope. O garçom não entende.

Um amigo traduz:

– Ele quer um fino.

9.

No restaurante, um prato um tanto obsceno: pica no chão.

Evito pedir informações. Um dia, tomo coragem e pergunto.

– É a galinha que pica (bica) no chão – me explica a dona do restaurante.

Galinha caipira para nós. O prato é preparado com sangue.

10.

Num carrinho de churros, o anúncio em letras grandes: porras recheadas.

Nunca experimentei. Não gosto de churros.

11.

Uma amiga, com que viajaremos em breve, me pergunta se já comprei a viagem.

– Não, ainda não comprei as passagens.

12.

Um dos lugares mais famosos de Braga, na parte interna da muralha, é a Casa das Bananas. Fica na Rua do Souto (passeio dos tristes, segundo um amigo). Lá você toma um copo de vinho moscatel de Setúbal, o melhor do mundo, e come uma banana da Ilha da Madeira. Acompanhamento estranho, mas que combina.

No balcão imenso do bar, um único banco. O freguês imprevidente que busca este descanso acaba levando um susto. Assim que se aproxima, o balconista puxa uma corda e surge feroz, violento e imenso, bem do centro do banco, uma pila de madeira.

Todos riem da brincadeira, principalmente turistas de regiões mais sisudas.

Pila é como chamam popularmente e o órgão viril. Na vitrine da Casa das Bananas, há garrafas em formato de pila, algumas rompendo a caixa de papelão. Os turistas tiram muitas fotos ali.

(É com humor que vamos aprendendo estes comportamentos diferentes de uma mesma e amada língua).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.