Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Elenco do espetáculo “Dalton Cabaré”, baseado na obra de Dalton Trevisan | Marcelo Almeida/Divulgação
Elenco do espetáculo “Dalton Cabaré”, baseado na obra de Dalton Trevisan| Foto: Marcelo Almeida/Divulgação

Curitiba não fica só reclamando do clima – também se orgulha de coisas como seus parques e literatura. Durante o Festival de Teatro, que começa para o público nesta quinta-feira (24), a Curitiba Mostra traz um recorte da escrita local em encenações que partem de obras de Dalton Trevisan, Wilson Bueno, Manoel Carlos Karam, Alice Ruiz, Luci Collin, Leonarda Glück e Priscila Merizzio.

Com a escolha de grupos que exploram o radicalismo da linguagem, o resultado promete ser inovador. No mínimo, serão espetáculos inteligentes e debochados. É o que se espera pela reunião de artistas.

Confira tudo sobre o Festival de Curitiba

“Dalton Cabaré”, com direção de Nena Inoue, seleciona contos curtos do Vampiro de 90 anos, para situá-los num “inferninho”. “Pegamos um polaco de cada colônia”, brinca Nena.

No elenco, Cássia Damasceno (da Cia. Brasileira), Kauê Persona (Antropofocus), Leonarda Glück (Selvática) e Pedro Inoue dão vida às palavras breves e certeiras daquele para quem um bom conto é “pico certeiro na veia”. Pela primeira vez, Nena convida uma das vozes mais provocativas da cidade – a cantora e atriz Simone Magalhães. Outro destaque da trilha sonora é um “tecladista de churrascaria”, enfatizando o flerte com o brega.

Humor e sarjeta

Dois autores já falecidos também serão homenageados, cada um com montagens que partem da particularidade de sua escrita.

Veja a programação completa da Mostra Oficial no Guia

Da leitura apaixonada pelo humor de Manoel Carlos Karam (1947-2007) a Companhia Brasileira traz “A cidade sem mar”. É a montagem que mais reserva surpresas, inspiradas nas brincadeiras que se faz com Curitiba, como a de que a cidade “tem só duas estações: inverno e rodoviária”.

Serviço

Todos os espetáculos ocorrem na Guairacá Cultural (Rua São Francisco, nº 179), (41) 3013-5070), com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia), com exceção de “Paranã”.

De Wilson Bueno (1949-2010), a Selvática/Estábulo de Luxo extrai “Pinheiros e precipícios”, com direção de Ricardo Nolasco. Mais uma vez, os desvalidos dessa terra de pinheirais são protagonistas da cena. “Talvez de todos os autores ele seja o mais transgressor”, pondera Nena, para quem Nolasco tem semelhanças artísticas com Bueno.

Finalmente, a CiaSenhas selecionou autoras locais para “O Bafo da Gralha” – Leonarda Glück, aliás, aparece em três das produções.

“São grandes autoras, o que dificultou muito a escolha dos textos”, explica a diretora Sueli Araújo. “Tentamos selecionar aqueles com os quais conseguíamos estabelecer algum diálogo para a cena. A ideia não é fazer uma adaptação e sim criar elos entre as palavras das autoras e evocar vozes de mulheres desta cidade.”

A Mostra também reapresenta “Paranã”, de 2015, que reúne contos de Dalton, Bueno e Domingos Pellegrini.

Os escritores e as adaptações

Dalton Trevisan

“Dalton Cabaré”

Direção de Nena Inoue, com o Espaço Cênico. Dias 24 a 27 de março, às 23h. 18 anos. Num ambiente de “inferninho”, os temas preferidos do vampiro de Curitiba – sexo, família, violência – ensejam contos encenados.

Manoel Carlos Karam

“A Cidade sem Mar”

Com a companhia brasileira de teatro e colaboradores. Dias 28 e 29 de março, às 20h e 23h. 16 anos. A peça parte de axiomas satíricos sobre Curitiba: “para ser perfeita só falta ter mar”, “são só duas estações” e “o verão caiu numa sexta-feira” e da escrita repleta de humor do autor.

Wilson Bueno

“Pinheiros e Precipícios”

Encenação de Ricardo Nolasco, com a Selvática e O Estábulo de Luxo. Dias 30 e 31 de março às 20h e 23h. 16 anos. Figuras desviadas num universo que começa e termina na sarjeta habitam essa “aldeia” ficcional de Bueno.

Autoras curitibanas

“O Bafo da Gralha”

Direção de Sueli Araujo, com a CiaSenhas de Teatro. Dias 1º e 2 de abril às 20h e 23h. 14 anos. Textos de Alice Ruiz, Luci Collin, Leonarda Glück e Priscila Merizzio inspiram a peça que retrata “palavras-fêmeas que vibram em Curitiba”.

Paranã

Direção de Nadja Naira, Nena Inoue e Rafael Camargo. Teatro Novelas Curitibanas (R. Pres. Carlos Cavalcanti, 1.222 – São Francisco), (41) 3321-3358. Dias 26 e 27 de março e 2 e 3 de abril às 16h. 16 anos. Textos de Dalton Trevisan, Domingos Pellegrini e Wilson Bueno oferecem panoramas diferentes do Paraná.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]