A opinião das redes sociais

Pixabay
Pixabay

Nos últimos meses, junto com o crescimento do número de investidores no mercado brasileiro, tenho notado uma forte evolução nas redes sociais sobre o tema. Considero esse movimento positivo, dado que nosso país não oferece educação financeira à população. No entanto, é importante fazer algumas ressalvas, já que que estamos tratando de um assunto delicado: o seu bolso.

Durante as eleições vimos frases ou comentários absolutamente sem sentido tentando induzir o voto das pessoas para todos os lados, e no mundo dos investimentos também não tem sido diferente. Com o crescimento das redes sociais, observo que muitas opiniões são dadas sem embasamento, inclusive recomendando ativos fora de contexto ou do perfil das pessoas.

Costumo falar que, antes de realizar qualquer investimento, o iniciante deve definir três pilares para a tomada de decisão: perfil, prazo e objetivo. O perfil pode se resumir em conservador, moderado ou agressivo. O prazo selecionamos entre curto, médio e longo. Considero curto prazo até um ano e longo até cinco anos, dada as rápidas mudanças que nosso país apresenta no contexto histórico recente. Por fim, podemos definir o objetivo como a compra de um carro, uma viagem, construção de patrimônio, entre outros.

Sendo assim, é fundamental identificar o perfil do influenciador e de seu público antes de seguir as suas recomendações. Alguns são iniciantes, outros já investidores profissionais e muitos buscam apenas debater o tema e ouvir diferentes opiniões. No Twitter, por exemplo, vejo muitos profissionais qualificados emitindo opiniões e gerando discussões positivas sobre teses de investimentos, gráficos e a performance de empresas, por exemplo.

No Facebook é possível encontrar diversos grupos de discussão com investidores de diferentes perfis trocando informações sobre temas variados, mas observo também pessoas desonestas com interesse por trás de algumas opiniões. Navegue com cautela. Já no Youtube, vejo muitos analistas e influenciadores ganhando espaço e levando conteúdo de qualidade para o público. No Instagram, as informações em grande parte são misturadas com entretenimento.

O Telegram, por outro lado, é o meio mais utilizado pelas plataformas digitais de investimentos, que usam a ferramenta para divulgar os seus materiais de análises. Por meio destas mesmas empresas o investidor tem a oportunidade de ler desde relatórios diários até recomendações para todos os tipos de perfis, independente da periodicidade.

No entanto quero ir ainda mais além e coloco também o surgimento e crescimento das empresas de análises independentes, que tem contribuído para o engrandecimento desse mercado para o “varejo” brasileiro. O objetivo de todo profissional deve ser que as informações cheguem naqueles que tem o desejo de ver seus investimentos obterem rentabilidade acima do apresentado nos últimos anos, seja por falta de informação ou qualificação daqueles que emitiam opinião anteriormente.

Desta forma, com todo o contexto acima, afirmo veementemente que qualquer pessoa é responsável por seus investimentos e objetivos e que, portanto, deve buscar reunir o máximo de informação antes de tomar decisões. No dia a dia, vemos situações que deveriam fugir da realidade atual, com iniciantes entrando em qualquer ativo por uma informação obtida por terceiros e sem se preocupar com o futuro do dinheiro investido. Verdade absoluta nesse mercado não existe e o que pode deixar qualquer um mais confiante são as teses de investimento.

Um exemplo disso é quando alguém procura um médico para tratar uma determinada doença. Em geral, este médico é de confiança ou foi indicado para o tratamento em específico. Este mesmo exemplo pode ser dado ao mundo dos investimentos. Portanto, busque participar, absorver conhecimento e aperfeiçoar o seu filtro. Acima de tudo, não tenha pressa, pois com o tempo certamente seus objetivos serão mais facilmente alcançados.

8 recomendacões para você

 
 
asd