Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Além da queda d’água de 7 metros, área tem trilhas e playground. | Hugo Harada/Gazeta do Povo
Além da queda d’água de 7 metros, área tem trilhas e playground.| Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Uma área degradada se transformou em um espaço de lazer e de preservação ambiental. No sábado (26), Curitiba ganha o seu 24.º parque municipal – o primeiro com cachoeira (a queda d’água no Tanguá é artificial). O Parque Vista Alegre, bem pertinho do Tingui, tem 100 mil metros quadrados, o equivalente a dez quadras.

O espaço foi uma pedreira, desativada há uma década. O “rombo” deixado na natureza foi se recuperando naturalmente e hoje 70% da área é tomada por vegetação nativa.

Confira localização e horário de funcionamento dos parques e bosques de Curitiba

O parque tem duas entradas (uma pela rua João Maria Sobrinho e outra pela Luiz Leduc) e em cada uma há portais de madeira e área de estacionamento.

  • Cachoeira de 7 metros desagua numa piscina natural no parque Vista Alegre.
  • Além da cachoeira, o parque também tem playground e trilhas – 70% da área é tomada por vegetação nativa.
  • Um deck de madeira, para a contemplação, foi instalado no local. O riacho Vista Alegre, de água cristalina, corta todo o parque.

O terreno inclinado tem trilhas pavimentadas. Para entreter as crianças, um playground foi construído. Na inauguração haverá também brinquedos infláveis, atividades recreativas e distribuição de mudas. Mas o ponto que deve atrair mais os olhares dos visitantes é uma cachoeira de 7 metros, que desagua numa piscina natural. Um deck de madeira, para a contemplação, foi instalado no local. O riacho Vista Alegre, de água cristalina, corta todo o parque. No entanto, vale ressaltar que não é permitido banho tanto no riacho quanto na piscina natural.

“Estamos transformando um passivo, um problema, numa área que a população vai poder usar para lazer e um espaço de preservação de fauna e flora”, diz o secretário municipal de Meio Ambiente, Renato Lima.

O projeto foi feito em parceria com o governo estadual, que cedeu R$ 850 mil do Fundo Estadual de Meio Ambiente. O restante, R$ 1 milhão, é dos cofres da prefeitura. Ainda faltam placas informativas. Corredores de azaleia e buxinhos foram plantados e, quando as plantas crescerem, devem formar um labirinto de flora, para brincadeiras infantis.

A área verde também ajuda a garantir a qualidade do ar da região e contribui para a permeabilidade do solo em casos de chuvas fortes. Um levantamento feito em parceria com a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) atestou que, apesar de pequena, é rica em biodiversidade, com várias espécies diferentes de fauna e flora. As plantas invasoras, como pinus, estão sendo substituídas gradativamente por nativas.

Ainda não há horários definidos para a abertura do parque, mas ele deverá ficar fechado à noite.

Confira a localização e o horário funcionamento de todos os parques e bosques de Curitiba:

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]