Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Ivonaldo Alexandre/Gazeta do Povo
| Foto: Ivonaldo Alexandre/Gazeta do Povo

Não são só as características físicas que tornam a Curva da Santa – localizada no km 668 da rodovia BR-376 – um dos pontos mais críticos da Serra Mar. O comportamento dos condutores tem peso decisivo na ampliação de risco do ponto, que foi palco de 246 acidentes nos últimos seis anos. Segundo a Polícia Rodoviária Federa (PRF), mais de 90% dos desastres (221) foram causados por abusos cometidos pelos motoristas, como excesso de velocidade ou por falta de manutenção nos veículos. Casos que poderiam, portanto, terem sido evitados.

INFOGRÁFICO: perigo na serra

A Curva da Santa fica a cerca de 18 quilômetros do início da serra. Trata-se de um segmento de sinuosidade acentuada e em declive – ou seja, uma curva fechada na descida. Não por acaso, a velocidade está limitada a 60 quilômetros por hora. Além das placas de sinalização e de três radares especiais com pórticos e displays eletrônicos alertando para os riscos, os desastres se sucedem no trecho. Quase sempre se tratam de casos graves e que envolvem caminhões que não conseguiram fazer a curva.

“O limite de 60 quilômetros por hora não é por acaso. Se o condutor vier acima disso, não vence a curva”, enfatizou o agente Fernando Oliveira, da comunicação social da PRF. “É considerado um ponto crítico não só pelo volume de acidentes, mas pela repercussão social das ocorrências, que implicam em interdição de pista, deslocamento e em gravidade”, acrescentou. Nos últimos seis anos, 13 pessoas morreram e 150 ficaram feridas (44, com gravidade) em ocorrências no trecho.

Comportamento

Elaborado pela PRF, um mapeamento das causas presumíveis dos acidentes aponta que mais da metade dos casos ocorreu por excesso de velocidade dos motoristas. Entre os fatores que motivaram os desastres aparecem a falta de atenção, ingestão de álcool, desobediência à sinalização ou fato de o condutor ter dormido ao volante.

Além disso, dois em cada dez acidentes foram causados por falhas mecânicas nos veículos, o que, segundo a PRF, está relacionado à negligência dos motoristas: poderia ter sido evitado com manutenção e revisão dos carros e caminhões. Prova disso são os resultados da “Operação Serra Segura”, realizada por meio de parceria entre a PRF e concessionária Autopista Litoral Sul. Em nove edições, a iniciativa fiscalizou 550 veículos de carga. Mais de 40% apresentavam problemas mecânicos.

“O que se poderia fazer no trecho, foi feito. Agora, depende do motorista, porque 90% dos acidentes ali é [causado por] imprudência, negligência ou imperícia”, definiu Oliveira.

Concessionária prepara projeto para implantar área de escape

Responsável pelo trecho da BR-376 que inclui a Serra do Mar, a concessionária Autopista Litoral Sul prepara um projeto para implantar uma área de escape antes da Curva da Santa, como mais um fator para reduzir o número de acidentes no ponto. Segundo o gerente de operações da concessionária, Ademir Custódio, a obra não estava prevista no contrato de concessão, mas a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) já se posicionou favoravelmente à intervenção.

“A ANTT já deu o ‘OK’ pra gente (...). É apresentar e construir. Estamos na fase de projetos. Em 2017, com o ‘OK’ da União, começa a construção”, disse. Segundo a concessionária, a obra seria financiada pelo governo federal, com recursos já reservados pela ANTT.

A área de escape corresponde a uma pista estendida no prolongamento da curva. Quando um veículo não conseguir fazer o traçado, ele pode seguir por esta via alternativa. Esta pista é composta por bolotas de argila expandida, que conseguem reduzir a velocidade do veículo. O método é semelhante às caixas de brita, usadas em autódromos .

Em 2011, a Autopista instalou uma área de escape no km 671 da BR-376 – um pouco depois da Curva da Santa. De lá pra cá, 48 caminhões e quatro ônibus de passageiros já usaram esse dispositivo de segurança. “Foram 52 acidentes que foram evitados”, resume Custódio.

Além disso, um estudo da concessionária aponta que pelo menos 7% dos caminhões trafegam na rodovia com excesso de peso, o que pode motivar acidentes, principalmente em trechos de descida, como a Curva da Santa. Por conta disso, a Autopista pretende instalar uma balança de veículos de carga antes do início da serra, no posto da PRF de Tijucas do Sul. A obra está prevista no contrato de concessão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]