Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Tentativa de roubo ocorreu nas proximidades do Colégio Estadual do Paraná | Arquivo Gazeta do Povo/
Tentativa de roubo ocorreu nas proximidades do Colégio Estadual do Paraná| Foto: Arquivo Gazeta do Povo/

Uma estudante de 15 anos foi esfaqueada durante uma tentativa de assalto perto do Passeio Público, no Centro, na manhã desta sexta-feira (23). A vítima é aluna do Colégio Estadual do Paraná (CEP) e estava indo para a aula quando foi abordada.

O caso foi pouco antes das 7h30. A aluna desceu do ônibus no Círculo Militar e foi caminhando até a escola. Quando já estava próxima dos portões de entrada, na Avenida João Gualberto, ela foi cercada por duas pessoas. Ao perceber que era um assalto, ela tentou fugir e foi agredida nas costas.

Segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seed), como a garota estava cheia de roupas achou que tinha apenas levado um soco de um dos assaltantes, mas ao chegar ao colégio foi avisada por colegas que estava sangrando.

O Siate foi acionado, assim como o Batalhão de Patrulha Escolar da Polícia Militar. De acordo com o Corpo de Bombeiros, os ferimentos eram moderados e a estudante não corre risco de morte. Ela foi encaminhada ao Hospital Evangélico.

Módulo

A ocorrência foi registrada a poucos metros do Passeio Público, onde há um módulo da Polícia Militar. De acordo com a porta-voz do Batalhão da Patrulha Escolar, tenente Marília Silva, a proximidade não era o suficiente para uma ação imediata dos policiais. “Ela estando na Avenida João Gualberto é distante de onde fica o posto. E ali é um posto onde os policiais fazem a troca de serviço, onde as pessoas pedem informações”, justificou.

Conforme a tenente Marília, a partir do momento em que foi acionada, a Patrulha Escolar demorou entre 15 a 20 minutos para chegar ao Colégio Estadual. Tanto a viatura da patrulha quanto os dois policiais que fazem a ronda a pé entre oito colégios da região central estiveram no local.

A tenente disse ainda que, até o momento, os suspeitos do crime não foram localizados. Contudo, a Polícia Civil deve dar andamentos às investigações, enquanto a Polícia Militar continuará realizando rondas na região e verificando pessoas suspeitas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]