Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Mulher morre esfaqueada em biarticulado ao intervir em discussão envolvendo ambulante
| Foto: Arquivo / Tribuna do Paraná

Uma mulher de 35 anos foi morta com uma facada dentro de um ônibus da linha Centenário/Campo Comprido, no Mossunguê, na tarde desta quinta-feira (24). O suspeito, que segundo informações preliminares seria um vendedor ambulante, está foragido.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima, identificada como Samantha Mantovani Muniz, foi atacada ao tentar intervir em uma discussão do vendedor com outro passageiro pelo pagamento de uma cocada. O suspeito chegou a dizer que mataria alguém após ter sido chamado de covarde. Ato contínuo, ele ataca a mulher com um golpe no pescoço. Logo após o condutor do ônibus ter aberto as portas, o agressor fugiu para um matagal.

Integrantes da PM, do Batalhão de Operações Especiais e da Guarda Municipal estiveram no local e fizeram buscas pelo suspeito na região onde foi registrado o ataque. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Polícia Civil.

À RPC, o delegado Tito Barrichelo informou que o suspeito costumava usar o ônibus como meio de vender cocadas. “Existem câmeras dentro desses locais, desses terminais. Se encontrarmos ele hoje, será preso em flagrante, ou em momento posterior pediremos a prisão temporária”, disse.

O Setransp lamentou o caso e confirmou que equipes da empresa responsável pela linha estiveram no local para averiguar a situação. O comunicado ainda afirma que o suspeito de matar a vítima pode ter fugido para um local próximo à uma estação-tubo.

“O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba (Setransp) infelizmente informa e lamenta um crime bárbaro ocorrido dentro de um ônibus biarticulado da linha Centenário/Campo Comprido”, confirma a nota.

Ainda conforme a Setransp, a Araucária Transporte Coletivo, responsável pelo ônibus, “enviou o grupo de apoio ao local tão logo soube do ocorrido. A empresa está prestando toda a assistência necessária e trabalhando junto com a polícia para esclarecer esse crime e cobrar punições”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]