Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Nove motoristas são abordados e autuados todos os dias por dirigir sob o efeito de álcool ou de substâncias entorpecentes em Curitiba. Os dados são do Detran e revelam aumento de 122% nas ocorrências na capital. Entre janeiro e junho, foram 1.616 infrações, contra 725 do mesmo período de 2016.

Segundo o Batalhão de Polícia de Trânsito de Curitiba (BPTran), também houve aumento do número de blitzes e de prisões por esse crime de trânsito. De janeiro a junho foram realizadas 751 blitzes da Lei Seca na capital, que resultaram na prisão de 249 motoristas. Nos mesmos meses do ano passado foram 673 grandes fiscalizações e 191 prisões.

O número de motoristas flagrados dirigindo sob influência de álcool também cresceu no Paraná na comparação com dados do ano passado, mas a evolução foi três vezes menor do que a da capital. As infrações por este motivo subiram de 3.512 para 5.089 neste ano, aumento de 44,9%. Em média, por dia, são autuados 28 motoristas por embriaguez ao volante no estado.

Outros dados apontam que esse é um problema nacional. De acordo com a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas, do Ministério da Saúde, de 2016, 7,3% da população adulta das capitais brasileiras declararam que combinam bebida com direção. Houve aumento de 32% na comparação com 2015.

Um estudo divulgado no final do ano passado pela Arteris, concessionária que administra diversas rodovias do país, corrobora essa percepção. De acordo com os dados coletados, um a cada quatro motoristas admite que dirige após consumir bebida alcoólica. Do total de 1.030 entrevistados, 26,3% afirmaram que já dirigiram alcoolizados. A incidência da má conduta é maior entre os homens: 30,7%, contra índice de 18,3% entre mulheres.

Imprudência

Em novembro de 2016, a legislação de trânsito ficou mais rigorosa e as multas mais caras. Dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa é infração gravíssima. O valor da multa foi alterado pela Lei Federal 13.281/16 e aumentou para R$ 2.934,70. O condutor perde o direito de dirigir por 12 meses, tem o documento de habilitação recolhido e o veículo é retido. Em caso de reincidência a multa é aplicada em dobro.

Além disso, o motorista que tiver nível igual ou superior a 0,3 miligramas de concentração de álcool por litro de ar alveolar pode ser preso. Neste caso, ele comete crime de trânsito e deve ser encaminhado à delegacia. Com a constatação, o infrator pode ser detido por período que varia de seis meses a três anos.

De acordo com os dados do Detran, apenas com as multas nesse caso foram arrecadados pelo menos R$ 4.742.475,20 em Curitiba e R$ 14.961.100,60 em todo o Paraná.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]