Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Garrafas de vidro, sacolas plásticas, garrafas de plástico e outros objetos amontoados em lixeira no Parque Barigui. Quantidade de lixo é tão grande que transborda da lixeira. Ao fundo, frequentadores do parque fazem exercícios físicos.
Parque Barigui amanhece muito sujo depois da virada de ano| Foto: Hedeson Alves / Tribuna do Paraná

Um dos principais cartões-postais de Curitiba, o Parque Barigui amanheceu no primeiro dia de 2020 repleto de lixo. Quem passou o réveillon no parque deixou para trás muitas garrafas de bebidas, latas de cerveja, plásticos e até fraldas ao longo da pista de caminhada. A beira do lago também estava cheia de material descartado e as lixeiras estavam transbordando.

Com apenas um gari no parque na manhã desta quarta-feira (1º), os próprios frequentadores se uniram para recolher o lixo. Só no fim da manhã a prefeitura encaminhou uma equipe para fazer a limpeza do Barigui.

Ainda de acordo com a prefeitura, não foi informado que haveria um evento no parque, o que não inviabilizou planejamento da equipe de limpeza do município. Com isso, os próprios frequentadores do parque se voluntariaram para recolher o lixo. Cerca de dez pessoas estavam recolhendo a sujeira pela manhã.

“É uma vergonha. Quem faz isso é gente sem cultura. Venho andar de bicicleta todo dia no Barigui. E hoje encontrei isso: sujeira para todo lado. É muita falta de consciência”, lamenta o ciclista João Junior, 38 anos, que deixou de se exercitar para apanhar o lixo. “Temos que ajudar, o parque é nosso”, enfatiza.

Ciclista com capacete segura material descartável para jogar na lixeira. Ao fundo, parque do rio do Parque Barigui
Ciclista João Jr. ajuda a retirar lixo espalhado pelo Parque Barigui| Tribuna

A cuidadora de idosos Arlete Torchelsen, 56 anos, era outra voluntária que estava recolhendo o lixo. Moradora de Curitiba há um mês, a gaúcha de Gramado não escondeu a surpresa desagradável de ver garrafas, latas e plástico espalhado pelo parque. “É triste demais isso. Estou fazendo minha parte, mas precisa ter mais coletores de lixo aqui”, ressalta.

Consciência

O argentino Andrés Ríos, que mora há quatro anos em Curitiba e se programou para curtir o parque com a esposa e a filha pequena no Barigui, lamentou o cenário que encontrou no primeiro dia do ano. “Todo o parque está muito sujo. Até a água está cheia de sacolas. Pessoal não tem consciência”, reclama. Por outro lado, Andrés fez questão de elogia quem estava recolhendo o lixo. “É muito feio ver esse monte de lixo no meio da natureza. Mas se tem gente sem educação, em compensação, tem também gente com consciência que está ajudando a limpar”, elogiou.

A promotora de vendas Cristiane Cantuário, 38 anos, que costuma se exercitar no Barigui, resumiu em uma palavra o cenário do parque nesta quarta-feira: decepção. “É decepcionante você vir se exercitar ou passear com a família e encontrar o parque cheio de lixo”, resume Cristiane, que também fez questão de elogiar os voluntários que estavam recolhendo os resíduos. “Eu vim caminhar ontem de manhã no parque e estava tudo tão limpinho. Hoje está essa bagunça, esse lixo todo. Uma decepção”, enfatiza.

A prefeitura vai definir na próxima segunda-feira (6), as implicações e possíveis sanções aos responsáveis do evento, que foi organizado pelas redes sociais.

7 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]