Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

varejo

4 dias após Magazine Luiza, Via Varejo também anuncia pacote para lojistas de marketplace

Parceria entre dona do Pontofrio e das Casas Bahia com Getnet vai permitir oferecer serviços para vendedores do marketplace de maneira semelhante à anunciada pelo Magazine Luiza

  • Estadão Conteúdo
Casas Bahia e Ponto Frio devem oferecer antecipação de recebíveis a lojistas do marketplace da Via Varejo ainda em 2018. | Divulgação
Casas Bahia e Ponto Frio devem oferecer antecipação de recebíveis a lojistas do marketplace da Via Varejo ainda em 2018. Divulgação
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A parceria entre Via Varejo, das marcas Pontofrio e Casas Bahia, e Getnet, do grupo Santander, deve permitir oferta de diversos produtos e serviços financeiros a vendedores do marketplace no primeiro trimestre de 2019. As empresas querem ofertar empréstimos para capital de giro, seguros e POS, as “maquininhas” que permitem transação em cartão. Mesmo antes disso, já este ano, a antecipação de recebíveis deve passar a ser oferecida a vendedores. O anúncio veio alguns dias depois, apenas, de o Magazine Luiza lançar um sistema de pagamentos próprio que oferecerá antecipação de recebíveis para lojistas do marketplace como um primeiro passo para futuros serviços.

O acordo prevê que Getnet e o grupo Santander farão a oferta à base de comerciantes que vendem produtos online usando a plataforma de e-commerce da Via Varejo.

“Essa modalidade de negócios via marketplace é algo que vem crescendo muito no Brasil e no mundo”, disse o presidente da Getnet, Pedro Coutinho. “Hoje nenhuma empresa de varejo tem expertise de concessão de credito para pessoas jurídicas, é algo inovador no mercado”, acrescenta o diretor financeiro da Via Varejo, Felipe Negrão

LEIA TAMBÉM: Magazine Luiza lança sistema de pagamentos próprio

O acordo não muda as parcerias que a Via Varejo já tem hoje nos seus negócios de venda direta ao consumidor. A empresa já possui parcerias de venda de produtos e serviços financeiros com Itaú, Bradesco e, no caso de seguros, com a Zurich.

O marketplace é um modelo que vem crescendo no comércio eletrônico na medida em que pequenos empreendedores se interessam em vender online. Para isso, cedem uma comissão para plataformas de grandes e-commerces, que viram uma espécie de “vitrine” para os produtos desses pequenos varejistas.

A parceria entre Getnet e Via Varejo mira atender ainda à nova regulamentação do Banco Central que entra em vigor no próximo dia 28, a qual determina a divisão do pagamento – o chamado “split” – realizado pelo comprador entre a plataforma de marketplace, no caso a Via Varejo, e os vendedores. Essa será a primeira etapa da parceria que entrará em operação e que, segundo os executivos, já vinha sendo alvo de esforços das duas empresas há cerca de um ano.

LEIA TAMBÉM: Droga Raia promete compra no site e retirada na loja em até uma hora

Num segundo momento, no quarto trimestre de 2018, as companhias esperam implementar a antecipação de recebíveis. Segundo Negrão, isso permitirá dar aos vendedores maior flexibilidade em relação a como preferem receber suas vendas. Hoje, o pagamento pela Via Varejo ao varejista é feito em cerca de 15 dias, mas o custo financeiro desse prazo já está embutido na comissão (chamada “take rate”) cobrada no marketplace. “Com o projeto, conseguiremos antecipar os recebíveis ao vendedor quando ele quiser e tiver necessidade para isso”, conclui o executivo da Via Varejo.

O acordo entre Via Varejo e Getnet não prevê no momento uma entrada de caixa para a varejista num formato de antecipação de comissões. Negrão considera que esse tema pode ser discutido pela frente, mas isso depende de as companhias terem uma melhor dimensão do volume de negócios possível na terceira faze do projeto, que começa em 2019, e envolve o empréstimo de capital de giro entre outros produtos.

LEIA TAMBÉM: Casas Bahia abandona estilo “quer pagar quanto” nas propagandas

Coutinho, da Getnet, afirma que a companhia tem visto potencial na expansão de plataformas digitais. Ele lembra que o comércio eletrônico tem previsão de crescimento da ordem de 20% no ano e afirma que a Getnet cresce mais que a média de mercado no mundo digital.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE