i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Combustível

Álcool mais barato só em maio, diz ministro

  • PorOsmar Nunes
  • 02/03/2006 18:51

São Tomé – Ao abrir a colheita da cana-de-açúcar, ontem à tarde na usina da Cocamar em São Tomé (Noroeste do estado), o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, disse que o preço do álcool ao consumidor só deverá apresentar uma queda significativa a partir de maio próximo. Até lá, a oferta continuará abaixo da procura, apesar da antecipação na colheita da cana.

Rodrigues não quis arriscar uma previsão sobre preço. "Não vou trabalhar com futurologia", disse. Ele reafirmou ainda que a redução de 25% para 20% na adição de álcool à gasolina, que começou ontem, não tem prazo para terminar. "Seguramente é uma medida que vai durar todo o ano de 2006", assegurou. Com isso, o governo espera economizar mais de 1 milhão de litros de álcool, o suficiente para abastecer o mercado nacional por um mês. O ministro disse ainda que a estocagem do produto no período da safra para garantir o abastecimento na entressafra é um assunto que está sendo discutido pelo governo e a iniciativa privada, mas não tem prazo para uma decisão sobre quem cobre os custos.

Segundo Rodrigues, no período que começou ontem e vai até o fim de abril, a intenção é produzir entre 800 e 900 milhões de litros de álcool, o suficiente para abastecer o mercado com tranqüilidade. A usina da Cocamar foi a primeira do Brasil a iniciar a colheita. Segundo o presidente da cooperativa, Luiz Lourenço, a antecipação já vem ocorrendo há alguns anos, por causa das variedades precoces que estão sendo utilizadas. Ele afirmou que a cana ainda não está totalmente pronta para o corte, mas o preço está bom, em torno de R$ 1,20 o litro e isso vai compensar as perdas de até 20% na produtividade. Na safra passada, o preço médio do litro de álcool vendido pela cooperativa foi de R$ 0,82.

O presidente da Associação dos Produtores de Açúcar e Álcool do Paraná(Alcopar), Anísio Tormena, garantiu que até o fim de março dez usinas do estado estarão operando normalmente. No Brasil, o número aumenta para 25. O país possui 250 usinas.

No Paraná, serão produzidas 32 milhões de toneladas de cana em 2006. Segundo a Alcopar, o número será 30% maior do que a produção da safra passada. Pelo menos 9% da safra tem colheita mecânica.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.