i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
balanço

Banco do Brasil lucra 117% com Cielo e aumento dos juros

    • são paulo
    • Agência O Globo
    • 15/05/2015 03:00
    Parceria com a Cielo gerou um montante de R$ 3,2 bilhões ao BB. | Pilar Olivares/Reuters
    Parceria com a Cielo gerou um montante de R$ 3,2 bilhões ao BB.| Foto: Pilar Olivares/Reuters

    O acordo com a Cielo, a elevação das taxas de juros e a variação cambial ajudaram o Banco do Brasil a chegar a um lucro líquido de R$ 5,818 bilhões no primeiro trimestre – crescimento de 117,3% na comparação com igual período de 2014.

    E esse resultado está ligado à conclusão da parceria para meios eletrônicos de pagamentos, que gerou um montante extraordinário de R$ 3,212 bilhões. Sem considerar os efeitos não recorrentes, o lucro do banco público foi de R$ 3,025 bilhões, valor 24,2% superior ao registrado nos primeiros três meses do ano passado.

    O crescimento do lucro também está atrelado à elevação dos juros cobrados dos clientes, o que garantiu maiores margens de ganhos – a margem bruta subiu 17,6%. A variação do câmbio, que até março foi de 19,9%, também melhorou os resultados em operações com títulos. “Esse aumento da margem se deve a uma Selic maior no período e o resultado da reprecificação da nossa carteira de crédito. Também tivemos ganhos com a variação cambial”, afirmou José Maurício Pereira Coelho, vice-presidente de Finanças.

    Dificuldades do braço brasileiro do HSBC alimentam expectativa de venda

    Resultados ruins e indefinição sobre o futuro são vistos como sinais de que o banco inglês, que em 1997 comprou o Bamerindus, vai encerrar as atividades no Brasil

    Leia a matéria completa

    Apesar do lucro dentro da expectativa, as ações do BB fecharam o pregão desta quinta-feira (14) em queda de 3,85%, cotadas a R$ 25,96. Segundo analistas, os investidores aproveitaram o resultado para embolsar os ganhos dos últimos meses – no ano, o papel acumula uma alta de 9,2%. Além disso, há uma preocupação quanto à possibilidade de aumento da inadimplência.

    Embora a taxa de atrasos acima de 90 dias tenha ficado praticamente estável – 2,05%, ante 2,03% em dezembro e 1,98% em março de 2014 –, houve uma deterioração no índice que mede atrasos no prazo mais curto (acima de 15 dias). E o indicador passou de 3,41% em dezembro para 4,30% ao final do primeiro trimestre.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.