Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Jonathan Nackstrand/AFP
| Foto: Jonathan Nackstrand/AFP

Não deixa de ser irônico que parte dos dados do Wikileaks – o site que causou o maior estrago na diplomacia americana desde os tempos da Guerra Fria – esteja guardado em um antigo abrigo nuclear, criado para proteger instalações militares de ataques por bombas e mísseis. Assim é o data center Pionen White Mountain, centro de alta segurança mantido pela empresa sueca Bahnhof, nas imediações de Estocolmo. Locais como esse têm sido usados por empresas de segurança digital para manter dados mais sensíveis. Como eles foram criados para serem discretos e têm uma arquitetura moldada por necessidades militares, fica fácil manter os intrusos afastados. Além disso, os locais subterrâneos facilitam a tarefa de manter controlada a temperatura, outra variável-chave para a segurança dos dados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]