221529

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Economia
  3. Bolsa tem alta embalada por proposta de reforma da Previdência

mercado

Bolsa tem alta embalada por proposta de reforma da Previdência

Externamente, outros fatores ainda podem ter alguma influência sobre os pregões, mas o peso maior sobre a Bolsa brasileira é o da proposta de mudanças na aposentadoria

  • Da Redação
  • Atualizado em às
 | Creative Commons/Pixabay
Creative Commons/Pixabay
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O Ibovespa abriu esta quarta-feira (20) em alta de 0,77%, a 98,4 mil pontos, caiu por volta das 11 horas, quando o texto entregue pelo presidente Jair Bolsonaro no Congresso começou a ser detalhado pela equipe econômica, e voltou a subir já próximo do meio dia.

Às 12h03 estava quase estável, a 0,05%. Analistas apontam dois motivos para a oscilação: a pouca mudança em relação à proposta de Michel Temer, sem nenhum avanço em termos mais cortes de privilégios na opinião dos especialistas, e o fato de que, sem surpresas, a reforma ainda corre o risco de ser desidratada no Congresso. Essas duas hipóteses estariam levando os investidores a embolsar os ganhos dos últimos dias.

A declaração secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, de que os militares também terão uma proposta a ser apresentada em 30 dias também pode ter animado os investidores no final da manhã.

A oscilação também afetou a cotação do dólar, que abriu o dia em queda de 0,67%, cotada a R$ 3,70, e por volta do meio-dia estava cotada a R$ 3,72, numa alta de 0,21%. Ainda é cedo para que a queda influencia as cotações das casas de câmbio, que oferecem o dólar a R$ 3,87 sem conta IOF e taxas, em média. Mas quem vai viajar deve acompanhar a moeda atentamente entre hoje e amanhã. 

Hoje, as bolsas da Ásia terminaram o dia em alta e os pregões europeus operam também com valorização. Nos Estados Unidos, os mercados futuros se comportam de maneira mista, mas próximos da estabilidade. Tudo indica, portanto, que é o peso interno, da apresentação e detalhamento da reforma da Previdência, que vai influenciar a Bolsa brasileira ao longo do dia e até mesmo o dólar, ainda que os fatores externos sejam mais relevantes na cotação da moeda.

Pouco antes da abertura do mercado, o analista-chefe da Modalmais, Álvaro Bandeira, disse que o Ibovespa tem de passar o patamar de 98.200 pontos nesta quarta (20) para adquirir firmeza. Ele observou ainda que, para isso, o mercado local também precisa da volta de fluxo de recursos, basicamente dos investidores estrangeiros. 

Ainda internamente, as repercussões do vazamento dos áudios entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex secretário geral da Presidência Gustavo Bebianno também pode ter efeito negativo no mercado, principalmente no que diz respeito ao apoio de que o governo precisa para passar, efetivamente, as mudanças na Previdência.

+LEIA TAMBÉM: Cargos do 3º escalão viram moeda de troca para aprovar Previdência e pacote anticrime

Externamente, outros fatores ainda podem ter alguma influência sobre os pregões pelo mundo, como a reunião entre Theresa May, primeira ministra do Reino Unido, e Jean Claude Juncker, União Europeia, sobre o Brexit, além da expectativa sobre mais uma rodada de encontros de negociação entre americanos e chineses na quinta (21).

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O jornalismo da Gazeta depende do seu apoio.    

Por apenas R$ 0,99 no 1º mês você tem
  • Acesso ilimitado
  • Notificações das principais notícias
  • Newsletter com os fatos e análises
  • O melhor time de colunistas do Brasil
  • Vídeos, infográficos e podcasts.
Já é assinante? Clique aqui.
>