Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

As bolsas de valores da Ásia encerraram em alta nesta segunda-feira, guiadas por dados dos Estados Unidos enquanto ações na China subiram quase 3 por cento em meio ao alívio dos investidores sobre confirmação de que medidas de Pequim para conter a inflação não incluem aumento de taxa de juros.

O índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico exibia às 7h32 (horário de Brasília) alta de 0,4 por cento, a 468 pontos.

Líderes chineses afirmaram no domingo que aumentaram esforços para reduzir a inflação em 2011 em resposta aos dados que mostraram que o ritmo dos preços no país superou previsões e alcançou o maior nível em 28 meses em novembro, de 5,1 por cento.

Antes da divulgação dos dados, o banco central da China aumentou a taxa de compulsório dos bancos pela terceira vez em um mês. Pequim não elevou juros, o que foi um alívio para uns, mas muitos esperam que uma alta na taxa de juros vá acontecer em algum momento.

"Não vejo chance alta de alta no juro até o final deste ano agora", afirmou o analista Cao Xuefeng, da Huaxi Securities, acrescentando que isso deve provavelmente ajudar as ações na China a ganhar terreno no curto prazo.

A bolsa de XANGAI fechou em alta de 2,88 por cento, no maior ganho diário em dois meses.

"No geral, o mercado está se resfriando e as pessoas não estão dispostas o bastante para montarem grandes posições agora", disse Carey Wong, analista de investimento no OCBC Investment Research.

Entre as commodities metálicas, o cobre industrial atingiu preço recorde nesta segunda-feira, a 9.129,50 dólares a tonelada, acumulando valorização de 23 por cento este ano. Já o petróleo subiu 0,7 por cento, a 88,42 dólares o barril, alta no ano de 11 por cento.

A bolsa de TÓQUIO fechou com valorização de 0,8 por cento, para 10.293 pontos.

Em HONG KONG o mercado subiu 0,67 por cento. TAIWAN encerrou valorizado em 0,2 por cento. Em SEUL, a bolsa fechou em alta de 0,53 por cento. CINGAPURA caiu 0,1 por cento e SYDNEY fechou com ganho de 0,24 por cento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]