Patricia-Santos-CargoX-clube-beneficios
A head de parcerias e comunidade da CargoX, Patricia Santos, conversou com a Gazeta do Povo sobre o clube de benefícios para os caminhoneiros. (Foto: Marcelo Pereira/FOTOKA)| Foto: FOTOKA

Em meio à insatisfação dos caminhoneiros do país, principalmente os autônomos, em relação aos custos do diesel e o preço do frete, entre outros problemas, a startup de logística CargoX criou uma solução que propõe a economia de R$ 14 mil ao ano por caminhão dentro de sua plataforma.

Conhecida como a "Uber dos caminhões” – e candidata a próximo unicórnio brasileiro, segundo o NYT e a CB Insights – , a CargoX conecta uma base de 250 mil caminhoneiros empreendedores (autônomos e pequenos frotistas com capacidade ociosa) a cerca de 5 mil empresas que precisam de frete. Entre estes clientes estão marcas como Ambev, Unilever, Votorantim e Heineken.

O Clube de Benefícios CargoX tem quatro parceiros: Dpaschoal, Omnilink, Graal e Rede Siga Bem – pertencente ao grupo BR. A startup busca empresas que possam oferecer vantagens competitivas ao caminhoneiro empreendedor, grupo que representa 95% dos profissionais do ramo que dirigem em estradas brasileiras, com frotas de até seis veículos, segundo dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), e que foi um dos mais afetados pelos elevados custos da atividade nos últimos anos.

“Conseguimos negociar descontos com escala para o caminhoneiro autônomo. Isso contribui com a melhoraria do cenário econômico do Brasil, uma vez que estamos ajudando o motorista a rentabilizar mais", afirma a head de parcerias e comunidade da CargoX, Patricia Santos.

Os custos anuais com cada caminhão chegam a R$ 93,3 mil, revelou uma pesquisa realizada pela CargoX, na fase de estudos do projeto, uma média de R$ 7.775 por mês. Eles foram questionados sobre o que mais pesa no orçamento anual. Os maiores gastos verificados foram com combustível, pneu, equipamento de rastreamento e manutenção.

“Levantados os maiores custos dos motoristas em viagens, constatamos que, ao se juntarem ao clube de benefícios, conseguem economizar R$ 14 mil ao ano, cerca de 15% do total”, diz Patricia. O valor representa uma redução de R$ 1.166 mensais.

Na prática, basta que o usuário cadastrado apresente o app da CargoX na unidade parceira, no qual constam todos os dados do veículo, da carga e do condutor. Nas redes Dpaschoal, o caminhoneiro tem descontos de até 30% em serviços relacionados com pneus, tais como alinhamento, balanceamento e recapagem.

Os serviços podem ser realizados em qualquer Truck Center da marca. O desconto na compra de um rastreador da Omnilink é de R$ 1,1 mil, além de 30% de desconto na mensalidade do aparelho, assim como outros benefícios para produtos da marca.

Nos postos Graal e da Rede Siga Bem, são oferecidas condições especiais para refeições, banhos e outros serviços. A CargoX mira parcerias com plano de saúde e convênio educacional para toda a família, agregando serviços e cuidados não somente com o caminhão, mas com a vida pessoal.

“Queremos ser a primeira escolha do caminhoneiro e agregar valor à sua vida, promovendo mais qualidade de vida para ele, dentro e fora do caminhão, que tenha mais autonomia para decidir para onde quer ir e que realmente consiga dar sustentabilidade financeira para a família, com a melhor margem.”

Até então, aponta Patricia, uma vantagem que somente grandes empresas podiam negociar. “O motorista autônomo não tinha direito aos maiores descontos, sempre era mais difícil. Então o caminhão do caminhoneiro autônomo é sempre o mais velho, que fica muito tempo sem manutenção e sofre na estrada com problemas. Com mais acesso, ele consegue também trafegar de maneira mais segura e deixar as rodovias mais seguras.”

Startup tem crescimento acelerado e é candidata a novo unicórnio

O clube de benefícios da CargoX é parte dos planos da startup de ser a maior logtech de transporte do Brasil. O país tem um espectro de mais de um milhão de caminhoneiros cadastrados com registros válidos na ANTT. Dentro deste cenário, a meta da startup é aumentar em 20% ao mês a base de caminhoneiros na plataforma.

A CargoX não informa a estimativa de crescimento para 2019. Revela, porém, um faturamento de R$ 500 milhões em 2018 – 233,33% a mais que no ano anterior, quando totalizou R$ 150 milhões.

A empresa, residente do Cubo Itaú, em São Paulo, recebeu aportes que somam US$ 96 milhões, vindos de investidores como o banco Goldman Sachs, do confundador da Uber, Oscar Salazar, e do fundador da Coyote (startup americana com atuação semelhante à CargoX), Eddie Leshin.

Recentemente, a CargoX foi apontada como candidata ao título de próximo unicórnio brasileiro, junto com as startups Grow e Quinto Andar. Elas figuram na lista das 50 empresas com maior potencial de ultrapassar o valuation de US$ 1 bilhão, divulgada pela pesquisadora CB Insight e publicada no jornal The New York Times.

Para o CEO e fundador da CargoX, Frederico Vega, o indicador é uma consequência natural do trabalho que a startup desenvolve até aqui. “Temos o propósito de fazer a diferença na vida do caminhoneiro de maneira signficativa e ser considerada pelo mercado como uma startup de alto valor é importante, pois nos ajuda a chegar cada vez mais perto dele. Porém, nosso grande objetivo continua sendo conectar cada vez mais caminhoneiros e pequenos frotistas a empresas embarcadoras.”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]