i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Jaguara

Cemig entra com ação em que pede análise de contrato de usina

O contrato de exploração da usina Jaguara, que tem capacidade de geração de 424 megawatts, vence em 28 de agosto

  • PorAgência Estado
  • 31/05/2013 17:02

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) anunciou nesta sexta-feira, em nota, que entrou com uma ação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que o Judiciário obrigue o Ministério de Minas e Energia (MME) a analisar o pedido de prorrogação do contrato para exploração da usina Jaguara. O contrato de exploração do ativo, que tem capacidade de geração de 424 megawatts, vence em 28 de agosto.

A usina é uma das que foram incluídas pelo governo federal na renovação antecipada, recusada pela Cemig devido a mudanças nos termos da concessão. A Cemig argumenta que o contrato assinado em 1997 dá direito à renovação automática, desde que o pedido fosse apresentado seis meses antes do vencimento, o que foi feito pela empresa.

Mas a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) recomendou ao ministério que nem analisasse o pedido de prorrogação, já que a Cemig se recusou a aderir à renovação antecipada de ativos de geração e transmissão no fim do ano passado. Por isso, a estatal mineira recorreu à Justiça para que o STJ "verifique se o seu requerimento de prorrogação foi tempestivo, com base no contrato de concessão em vigor".

"Se a Cemig sequer manifestou seu interesse nem aderiu às novas regras introduzidas pela MP 579, convertida na Lei 12.783/2013, não estaria, portanto, sujeita ao prazo ali previsto", afirmou a diretora jurídica da Cemig, Maria Celeste Guimarães, referindo-se às normas criadas pelo governo federal para a renovação antecipada das concessões. A usina de Jaguara, que tem reservatório de 90 milhões de metros cúbicos, responde por 6,02% da capacidade de geração da empresa, de 7.032 megawatts.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.