Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Entretenimento

Cinemas dão adeus ao celulóide e investem em reformas e ampliações

Em 2013, redes pretendem trocar projetores para atualizar seus equipamentos e atender as novas exigências das distribuidoras e dos consumidores

  • João Pedro Schonarth
Milton Durski, diretor-geral da rede Cineplus: R$ 5 milhões para investir em modernização |
Milton Durski, diretor-geral da rede Cineplus: R$ 5 milhões para investir em modernização
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O ano de 2013 vai ser um momento de atualização para as redes de cinema. A partir de janeiro de 2014, as distribuidoras não terão cópias de filmes que não sejam digitais – adeus ao velho celulóide, portanto. A mudança vai provocar uma onda de investimentos para modernização das salas, ao custo de cerca de R$ 300 mil por projetor digital. O ano será de corrida contra o tempo para se manter de acordo com as exigências do mercado e, adicionalmente, ampliar e reformar salas.

A hora de “arrumar a casa” começa em 2013 para que as redes voltem a crescer em 2014. Milton Durski, diretor geral da rede paranaense Cineplus, que tem 14 salas em quatro complexos na Grande Curitiba, projeta um investimento de cerca de R$ 5 milhões em modernização dos projetores, além de outras reformas em suas salas.

No Shopping Jardim das Américas, o número de salas vai passar de quatro para seis, sendo uma XD (Extreme Digital Cinema, com tela maior e mais qualidade de som) e as demais 3D, ao custo de R$ 2,5 milhões. No Shopping Água Verde, haverá troca de poltronas e a aquisição de um projetor digital para uma das duas salas, ao custo de R$ 400 mil. Já no Shopping & Sports Xaxim, dois aparelhos 3D serão comprados, por R$ 600 mil. Em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, e em Castro, nos Campos Gerais, onde a rede também atua, equipamentos também serão atualizados.

Durski ressalta que o grupo vai abrir mão de crescer em 2013 para ficar no mercado com salas atualizadas. “Com R$ 5 milhões poderíamos inaugurar outro complexo, mas vamos investir na digitalização. Vamos digitalizar todas as salas para poder sobreviver e solidificar nossas ações no ano que vem para voltarmos a crescer em 2014”, analisa.

A Cinesystem, também paranaense, vai investir em Curitiba cerca de R$ 2 milhões em novos equipamentos e reformas. Uma das salas do Shopping Curitiba será no formato VIP, com poltronas mais espaçosas e reclináveis, com investimento de R$ 500 mil. Já o Shopping Total vai receber o maior aporte de recursos: R$ 1,5 milhão, a partir de janeiro, para a implantação do segundo sistema 3D, além de melhorias na infraestrutura – até julho a revitalização deve ficar pronta.

Eduardo Vaz, diretor da rede, lembra que outros multiplex do grupo, como no Shopping Cidade e em Paranaguá, no litoral, já estão totalmente digitalizados. “Hoje, 70% das salas já são digitais. Desde 2010 estamos realizando a troca de sistema de projeção mecânica para digital. Este é um processo irreversível para as companhias de cinema que operam no Brasil e no mundo”, ressalta.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE