Moisés é um jovem que sabe se virar. Ainda na juventude demonstrou sua enorme disposição para aprender e curiosidade sobre tudo que o cercava. Nos tempos de faculdade, trabalhou como estagiário na instituição e depois presidiu de forma exemplar o centro acadêmico. Lá acrescentou ao seu currículo dezenas de eventos por ele maquinados, desde simples festas a grandes palestras.

Terminada a faculdade, Moisés não se conteve. Assim como muitos jovens, partiu para o exterior em busca do aperfeiçoamento em uma segunda língua. Tinha também interesse pelos aspectos culturais do país visitado, aonde chegou como turista e exerceu somente funções (clandestinas) consideradas simples, pesadas e de pouca exigência intelectual. Entretanto, isso não o desanimou. Seu desejo era aprender a língua, conviver com o povo e descobrir os gostos, as manias e outros pormenores da cultura deste.

No exterior, foi pedreiro durante quatro meses. Trabalhou ainda como chapeiro em um quiosque de praia por uma temporada, carregou e descarregou muitos caminhões de mudanças e foi jardineiro em um dos bairros nobres da cidade onde morou. De volta ao Brasil, já com experiência internacional, conseguiu ingressar em uma agência de publicidade de renome como trainee e depois em uma empresa de eventos.

Assim, de emprego em emprego, Moisés seguia com sua luta. As mudanças contínuas de ofício não o incomodaram no início, mas, aos poucos, tornaram-se motivo para questionamentos. "Por que não consigo um emprego fixo, seguro?", pensava. Após muito refletir a respeito, Moisés chegou a uma decisão interessante: a de não buscar um emprego, e sim criar o próprio trabalho. Passou, então, a ser autônomo na área de eventos – a qual ele descobriu ser sua verdadeira paixão.

Hoje, Moisés batalha pelos seus ideais, transforma locais, reinventa ambientes, coordena equipes e exercita a criatividade diariamente. Desse modo, conquistou clientes fiéis e garantiu seu espaço no mercado, sem depender de um empregador. Essa mudança de vida deu a Moisés muito mais do que estabilidade financeira, devolvendo a ele a auto-estima e a confiança perdida. Moisés tem certeza de que suas habilidades e força de vontade irão ajudá-lo a enfrentar qualquer situação do mercado, mesmo com os altos e baixos da economia. Essa disposição toda se deve a seu perfil empreendedor, que o leva a desbravar caminhos novos e desconhecidos a cada dia.

A história de Moisés é semelhante a de muitos jovens que, na busca por ideais, investem tempo, dinheiro e, principalmente, esforço na coleta de informações e na formação acadêmica. Longe de se entregar ao desânimo ao não encontrar o emprego dos sonhos, Moisés elaborou projetos independentes. Ele, como inúmeros jovens de talento e vontade, forma hoje uma nova casta, a dos trabalhadores intelectuais sem emprego fixo, que atuam por projetos. Isso significa trabalhar duro durante algum tempo, ganhar um bom dinheiro, descansar e depois partir para uma nova empreitada. Em um mercado de rápida e grande transformação, trabalhar dessa forma pode ser uma grande solução e fonte de satisfação.

Saiba mais

Voluntários Carrefour

O Programa Voluntários Carrefour foi criado em 2001 para incentivar e apoiar o envolvimento dos colaboradores da empresa com entidades que atendem crianças e adolescentes localizadas no entorno das lojas do grupo. Nelas os voluntários ajudam a desenvolver ações de reforço escolar, trabalhos com reciclagem e atividades físicas, esportivas e artísticas – depois de serem treinados para identificar os próprios talentos. O Carrefour contribui doando produtos às instituições e cedendo, a cada mês, quatro horas de trabalho dos funcionários para que eles atuem como voluntários. O programa, que já beneficiou cerca de 25 mil crianças e jovens, tem a participação de 60 lojas da marca e de aproximadamente 1.300 profissionais.

***

Esta coluna é publicada todos os domingos. O espaço é destinado a empresas que queiram divulgar suas ações na gestão de pessoas e projetos na área social, bem como àquelas que queiram dividir suas experiências profissionais. A publicação é gratuita. As histórias publicadas são baseadas em fatos reais. O autor, no entanto, reserva-se o direito de acrescentar a elas elementos ficcionais com o intuito de enriquecê-las. Contato:coluna@debernt.com.br, ou (41) 3352-0110. Currículos:cv@debernt.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]