i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Talento em pauta

O trampolim para o Exterior

  • PorBERNT ENTSCHEV – coluna@debernt.com.br
  • 19/10/2009 21:01

DICAS

Para quem quer morar fora do país:

- Estude a cultura do país de destino antes de se aventurar;

- Converse com pessoas que já passaram pela experiência de morar lá e evite cometer os mesmos erros;

- Veja todas as burocracias que precisará enfrentar e só mude quando estiver com tudo em dia. Não está com nada essa história de tentar uma vida ilegal em outros países;

- Tente aprender a língua antes de se mudar. Mesmo que não fale fluentemente, dominar o básico é fundamental para se virar lá fora;

- Honre-se. Não é porque estará num país desconhecido que deverá se submeter a qualquer emprego ou moradia;

Falei recentemente em minha coluna sobre a geração Y e uma de suas características mais comuns é a vontade desses jovens em construir carreira fora do Brasil. E foi pensando nisso que resolvi falar hoje sobre os expatriados. Aliás, antigamente, quando falávamos em emigrantes brasileiros, pensávamos rapidamente nas pessoas que deixavam suas famílias para trás, para se aventurar em condições de trabalho sub-humanas. O cenário pode não estar às mil maravilhas, porém isso já mudou bastante. Hoje em dia é muito mais difícil achar profissionais graduados dispostos a trabalhar em qualquer emprego no exterior, apenas para aprender o inglês, ou seja lá qual língua for. Pelo contrário, a maioria deles está em busca de um crescimento relevante em sua carreira, até mesmo porque, como costumo dizer, para um engenheiro, por exemplo, de nada adianta dizer que possui experiência como barman. Porém a intenção de minha coluna hoje é sinalizar as melhores formas de desenvolver uma boa chance de morar fora do país e como se preparar melhor para uma chance como essas. Diria que o primeiro passo de todos é a definição de metas. Aliás, não só nesse caso, mas em qualquer outra situação que envolve sonhos e desejos, acredito que as metas devem ser estabelecidas, assim como as estratégias para chegar até elas. Uma vez definido aonde você quer chegar, fica muito mais fácil saber qual o melhor caminho que levará até lá. Um exemplo claro disso é um profissional que almeja morar na Europa e inicia sua carreira numa multinacional americana. Ora, suas chances serão todas voltadas a cargos na América e não na Europa, é uma questão óbvia.

Bom, com o destino definido é a vez de preparar sua vida para chegar lá. Você tem algumas opções e aqui destaco duas. Autossustentar-se lá fora e se arriscar a fazer uma mudança para depois buscar oportunidades de emprego, ou se estabelecer numa multinacional com origem no seu país de destino, para que lá possa galgar, pouco a pouco, novos patamares que te levarão, em algum momento de sua carreira, à tão sonhada transferência.

Na primeira opção, sugiro estudar muito bem antes como anda o mercado de trabalho, para quando chegar lá já saber direitinho onde e como procurar uma colocação no mercado de trabalho local. Sugiro, inclusive, maleabilidade de objetivos profissionais. É possível que um publicitário tenha que trabalhar como relações-públicas no princípio, para só depois conseguir se estabelecer como publicitário, propriamente dito. Mas atenção, volto à questão anterior. Isso não quer dizer se submeter a fazer qualquer trabalho. Lembre-se, alguns empregos lhe darão retorno financeiro imediato (algo muito levado em conta por alguém que se arrisca a se mudar para um país desconhecido), porém não agregará em nada em seu currículo. Outra questão básica é saber, antes de se mudar, em que tipo de lugar irá morar e como fará para bancar isso. É importante que se tenha uma reserva financeira para moradia, assim não se sentirá tentado a aceitar qualquer emprego no princípio só para ter de pagar as contas, e terá mais tempo para buscar o trabalho ideal.

Atento para a seguinte questão. Para conseguir um emprego bom no exterior, é preciso, antes de tudo, dominar a língua nativa e possuir bons históricos profissionais aqui no Brasil. Se tiver experiência de relacionamento internacional, melhor ainda. Melhore o quanto for possível o seu nível de empregabilidade, afinal, se aqui já é difícil conseguir um bom emprego, tenha consciência de que conseguir algo num país estranho é infinitamente mais difícil.

A segunda opção, a de fazer carreira numa multinacional, também é válida e diria que até mais certa. Mas, sem dúvidas, é mais demorada. Porém, se essa é a sua opção, cuidado para não entrar numa cilada. Deixe claro para seus superiores sobre a sua ambição. É preciso que as cartas estejam na mesa. Já imaginou quanto tempo perdido se você entra numa dessas empresas, se ela não tiver a intenção de mandar colaboradores para fora? Acredite, muitas não têm essa pretensão. A partir do momento em que ficam claro todos os seus anseios, tudo fica mais fácil. Basta se dedicar com esmero para alcançar seus objetivos. É como se fosse uma corrida por promoções, mesmo porque, trata-se de uma promoção mesmo. Mas, o mais importante, não deixe seu futuro nas mãos da empresa. Ela pode ser um trampolim, é claro, mas aprenda a enxergar as oportunidades que passam por você. Assim, se lá na frente seus planos não derem certo, você pelo menos terá a certeza de que fez tudo o que podia.

* * * * *

Você está pronto para ser expatriado?

1- Como está seu conhecimento em inglês (ou outro idioma estrangeiro)?

a) Não tenho nenhum conhecimento.

b) Tenho bons conhecimentos, preciso me aperfeiçoar mais.

c) Tenho fluência.

2- Em relação à mudança de país, a sua família:

a) Nunca pensou no assunto.

b) Já pensou no assunto, mas sem dar muita atenção.

c) Já tem isso claro e está totalmente disposta a se mudar.

3- Você recebeu uma proposta para um país que não lhe parece muito atraente, portanto está inseguro se deve aceitar.

a) Nesse caso, prefere recusar, pois só aceitará aqueles que lhe interessa.

b) Fica um pouco desanimado, mas pensa no assunto.

c) Imediatamente pesquisa sobre o país, conversa com pessoas e busca profissionais que tenham sido expatriados para o mesmo país a fim de conhecer melhor a cultura.

4- Você recebeu uma proposta para expatriação temporária.

a) Fica inseguro em aceitar, pois quando voltar com certeza não terá mais a sua função.

b) Procura se informar sobre as perspectivas que terá na volta.

c) Analisa vantagens e desvantagens tanto de sua expatriação como dos planos da empresa para o seu retorno.

5- Você está atualizado em relação à cultura, política e costumes dos países nos quais sua empresa tem unidades?

a) Não.

b) Conheço algumas coisas.

c) Estou sempre antenado sobre o que acontece nesses países.

Parabéns se você marcou a maioria "c". Ao receber uma proposta é só fazer as malas. Mas se você escolheu a alternativa "a", em sua maioria, torça pra não receber uma proposta, pois é possível que você não esteja preparado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.