Dicas

Para profissionais que convivem com colegas com problemas como esses:

- Jamais exclua uma pessoa por ela ter mau hálito, ou não se vestir bem. Se achar um momento oportuno, fale sobre o assunto abertamente. Se não for o caso, dê-lhe dicas sutis;

- Se, mesmo assim, não obter um resultado satisfatório, chame o chefe do seu colega para uma conversa e comente sobre a importância de alertá-lo sobre o problema;

- Não deixe que comentários maldosos sejam feitos a respeito daquela pessoa. Pode não parecer, mas o problema pode ser muito mais grave do que você imagina;

- Crie o hábito de se policiar a respeito disso. É muito fácil falar sobre a barriga de fora alheia, quando nós mesmos pecamos na cor da gravata, ou coisa do tipo;

- Jamais se ache soberano. Todos estamos passíveis de erros. Acusar ao outro de um erro é o mesmo que se fechar para nossos próprios erros.

É sempre muito delicado fazer crítica às pessoas, ainda mais quando o assunto é muito pessoal. Porém, acredito que, num ambiente profissional, o bem da empresa é o que vale e, se um de seus profissionais não estiver de acordo com o que a empresa espera, o ideal é falar o quanto antes, para evitar que aquela pessoa manche a imagem da organização. Esse é o caso de profissionais que possuem problemas com mau hálito, odores embaixo dos braços, vestuários inadequados e outras situações que incomodam aos demais colegas e podem, até, passar uma imagem de desleixo para clientes.

Infelizmente, normalmente as pessoas que possuem problemas como esses não sabem que os tem. Eles simplesmente não percebem seus próprios odores, ou não se atentam para inadequação de uma determinada vestimenta. Tratar de assuntos como esses, torna-se, portanto, uma tarefa muito delicada, o que requer da empresa certo jogo de cintura para ferir o mínimo possível o ego de quem recebe a notícia.

Acredito que o primeiro passo é escolher uma pessoa que tenha habilidade para levar situações como essa de uma forma mais leve, sem se embaraçar entre as palavras e, com isso, tornar a situação ainda mais delicada. É importante que essa pessoa tenha uma relação saudável com o profissional desavisado, mas que ela imponha certo tipo de respeito. É fundamental que a mensagem seja passada da forma correta, ou seja, tem que ficar claro que se trata de uma orientação e que ela deve ser seguida. Um local tranquilo é o mais recomendado para abordar esse tipo de assunto, já que a pessoa precisa estar à vontade. Desta forma, o entendimento fica mais fácil, e a crítica pode ser compreendida com mais clareza.

É importante, também, que quem vá dar a notícia, esteja preparado para uma má recepção. Nem todo mundo sabe lidar com críticas. Alguns se zangam, outros ficam tristes e se ofendem, outros ainda simplesmente relevam a informação como se nem acreditassem no que lhes foi dito. Uma boa maneira de não constranger a pessoa, é mostrando que aquilo é falado em seu favor, para evitar futuros problemas com outras pessoas ou outras empresas. Pode ser uma maneira, inclusive, de evitar piadinhas maldosas, exclusões ou outros tipos de situações que só prejudicam a pessoa.

Assim como qualquer outra crítica, é fundamental que, ao conversar com a pessoa que tem esses problemas, alguma solução seja oferecida logo em seguida. Por exemplo, no caso de maus cheiros, avise a pessoa que aquilo pode ser proveniente de algum problema de saúde e que o ideal é procurar um médico, ou coisa do tipo. No caso de vestuários enganosos, a solução pode ser a aquisição de uniformes para aquele profissional, ou, se essa não for a política da empresa, quem sabe não caberá a indicação de uma revista de moda ou de programas de tevê que ensinam sobre a forma certa de se vestir?! Outra boa saída é desenvolver um manual de integração, onde contenham todas essas informações. Assim, todos os funcionários que já estão na empresa, ou que ainda irão entrar, terão a oportunidade de se inteirar da cultura organizacional, assim como a forma que as pessoas que ali trabalham devem se vestir e/ou se comportar.

Conheço casos de pessoas que deixaram de ser promovidas por problemas como esses que citei. Infelizmente, aliás, tudo isso é muito mais comum do que podemos imaginar. Algumas vezes, trata-se de desleixo. Quando o problema é esse, a empresa acaba repensando se aquele profissional realmente é merecedor da promoção. A lógica é simples: se ele não é capaz de cuidar da própria higiene, imagine como tratará seu trabalho. Em outros casos, e eu, sinceramente, não sei qual é pior, o problema está na saúde do colaborador. Eles se cuidam, são extremamente higiênicos, mas, mesmo assim, exalam maus odores. O que fazer? Só procurando auxílio médico mesmo, como citei anteriormente. Não acredito que nenhuma das situações não possa ser contornada. Quando há vontade, é possível qualquer coisa.

O que não pode acontecer é que um problema de tal importância se torne empecilho para o almejado crescimento profissional.

* * * * * *

Teste

Imagine-se nas seguintes situações, qual seria sua atitude normal? Seja sincero nas suas respostas:

1. Seu colega de trabalho tem um mau hálito insuportável e todo mundo o evita. Você:

a) Evita-o também.

b) Prefere não evitá-lo, mas toda vez que ele chega perto você oferece uma bala de menta.

c) Chama-o para conversar e fala a verdade.

2. No caso de um colega que tem problema de forte odor na axila, sua atitude é:

a) Evitá-lo o máximo possível, principalmente nos dias quentes. Se tirá-lo no amigo secreto, você lhe dará um desodorante.

b) Vive dando indiretas pra ver se ele "se toca".

c) Chama-o para conversar e fala a verdade.

3. Você tem uma colega de trabalho totalmente "sem noção" para se vestir. Você:

a) Adora se reunir com os colegas pra tirar sarro dela.

b) Sempre que tem uma oportunidade faz alguma brincadeirinha sobre sua roupa.

c) Chama-a para conversar e fala a verdade.

4. Você tem um colega de trabalho que fala e dá gargalhada alta. Você:

a) Toda vez que ele se comporta assim, faz cara feia.

b) Vive tirando sarro do comportamento dele com os outros.

c) Chama-o para conversar e fala a verdade.

5. Você está em uma reunião e seu chefe está com o nariz sujo. Você:

a) Tem vontade de sumir, pois não sabe o que fazer.

b) Começa a passar o lenço no seu nariz pra ver se ele faz o mesmo.

c) Discretamente, sinaliza que há algo errado.

6. Uma colega se abaixa para pegar uns documentos no chão e roupa íntima fica totalmente à mostra. Você:

a) Mostra discretamente aos demais e se diverte com a distração da colega.

b) Faz uma careta e pensa: "Que mulher sem noção!"

c) Aproxima-se dela discretamente e a avisa do problema.

Se você foi realmente sincero e assinalou a maioria "c", parabéns! Você é um tipo de pessoa que sabe lidar com elegância em situações constrangedoras. Provavelmente você consegue se colocar no outro.

Mande sua história para coluna@debernt.com.br e siga www.twitter/bentschev.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]