i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Balanço

Com tomate e limão mais baratos, inflação fecha semestre em 2,66%

Taxa é inferior à do mesmo período de 2008, quando ficou em 3,84%. Na semana, taxa de 0,12% é a menor desde setembro de 2008

  • PorG1/Globo.com
  • 01/07/2009 07:48

Os preços do tomate e do limão foram os principais responsáveis pela inflação menor no primeiro semestre deste ano, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). De janeiro a junho, o Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) acumulou alta de 2,66% - menor que a registrada no mesmo período do ano anterior, quando ficou em 3,84%.

No semestre, os preços do tomate caíram 26,85%, enquanto os do limão recuaram 59,18%. Também contribuíram as reduções nos preços de passagem aérea (-26,90%) e feijão preto (-33,26%). Em 12 meses, a taxa acumulada do IPC-S é de 4,87%, também inferior à acumulada nos 12 meses até junho de 2008 (5,96%).

Quarta semana de junho

Na passagem da terceira para a quarta semanas de junho, a alta menor dos gastos com habitação levou o IPC-S a recuar pela terceira semana consecutiva. O indicador fechou o mês em 0,12%, na menor taxa desde a última semana de setembro de 2008, quando havia ficado em -0,09%.

Na mesma comparação, a taxa do grupo habitação recuou de 0,30% para 0,12%, sob influência dos preços da energia residencial, que ficaram em média 1,55% mais baratos, seguindo um recuo de 0,71% na semana anterior. A taxa do grupo despesas diversas também ficou menor na mesma comparação, passando de 1,11% para 0,31%, com destaque para a alta menor dos preços dos cigarros (de 2,51% para 0,24%).

Os preços dos alimentos tiveram alta maior, com a taxa passando de 0,01% para 0,12%. Ainda assim, vieram do grupo quatro das cinco maiores influências de baixa sobre o IPC-S: mamão papaya (-20,18%), cenoura (-22,94%), batata inglesa (-8,00%), e laranja pêra (-8,29%).

Contribuíram ainda para reduzir a taxa do IPC-S os grupos vestuário (de 0,64% para 0,43%), transportes (de -0,07% para -0,14%), educação, leitura e recreação (de 0,05% para -0,04%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,32% para 0,27%).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.