Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Com aumento de 2,3% no total de empregados, a agropecuária foi um dos destaques da geração de empregos no Paraná | Hugo Harada / Gazeta do Povo
Com aumento de 2,3% no total de empregados, a agropecuária foi um dos destaques da geração de empregos no Paraná| Foto: Hugo Harada / Gazeta do Povo

Ritmo diminui 40% no Paraná

O Paraná criou 13.927 vagas de emprego no mês passado, de acordo com Caged, elevando em 0,58% o total de empregados no mercado formal do estado. O resultado paranaense superou a marca brasileira para o período – em todo o país, o trabalho formal cresceu apenas 0,25% no mês.

Leia a matéria completa

Taxa de desemprego fica estável em março

A taxa de desemprego ficou praticamente estável em março, em 6,5%. Mas o resultado foi o melhor para o mês desde o início da série histórica, iniciada em março de 2002. A pesquisa revelou outra boa notícia para o trabalhador: o rendimento médio real aumentou 0,5% ante fevereiro e 3,8% sobre março de 2010, atingindo R$ 1.557,00.

Leia a matéria completa

Desempenho pode pressionar inflação e Selic

Na opinião de boa parte dos economistas, o bom desempenho do mercado de trabalho pode contribuir para elevar o ambiente de pressão inflacionária e, portanto, põe mais pressão sobre o Banco Central, que hoje tende a elevar a taxa básica de juros (Selic).

Leia a matéria completa

  • Veja que no mês de março de 2011 foram criadas quase 14 mil vagas de empregos no PR

Brasília - O ritmo de criação de novos empregos com carteira assinada no país despencou em março, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desem­pre­gados (Caged) divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho. Os números do primeiro trimestre também não foram os mais animadores, e mostraram recuo em relação ao mesmo período de 2010.

Em março, foram criadas 92.675 vagas formais, 65,2% a menos que em março do ano passado, quando foram gerados 266.415 postos de trabalho, sem levar em consideração as declarações entregues pelos empregadores fora do prazo.

O mês registrou recorde histórico de demissões, com 1,673 mi­­lhão, enquanto as admissões chegaram a 1,765 milhão, o terceiro melhor desempenho da série. Para o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, a menor geração de vagas formais em março se deveu em parte à antecipação de contratações realizadas em fevereiro e ao feriado de carnaval, que reduziu a quantidade de dias úteis no mês. Além disso, o fim da safra da cana-de-açúcar no Nordeste teria acelerado os desligamentos.

Segundo ele, a perda de ritmo na geração de postos formais não reflete uma desaceleração da economia brasileira, e o resultado do Caged em abril deverá ser bastante forte. "Em primeiro lugar, porque não teremos outro carnaval, com a economia dez dias quase paralisada. Além disso, o comércio deve voltar a crescer e o fim das chuvas em algumas regiões também deve impulsionar a construção civil".

O setor de serviços liderou a criação de vagas formais no mês, com 60.309 postos, seguido pela in­­dústria de transformação (14.448) e agricultura (11.400).

Meta mantida

Segundo Lupi, a meta de criação de 3 milhões de novos empregos com carteira assinada em 2011 está mantida, apesar de o resultado do primeiro trimestre do ano ter sido menor que o registrado no mesmo período de 2010. "Os ciclos (econômicos) nos próximos trimestres devem compensar esse resultado."

Com a contabilização das declarações entregues pelas empresas fora do prazo, o resultado do primeiro bimestre do ano passou para 491.211. Dessa forma, no acumulado do primeiro trimestre de 2011 foram geradas 583.886 vagas formais, resultado 11,2% inferior às 657.259 vagas criadas no mesmo período do ano passado.

Contra o Copom

Na véspera da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa Selic, Lupi aproveitou para criticar o ciclo de aumento dos juros para combater a inflação. "A inflação não é esse diabo que muita gente fala. Temos que combatê-la, mas não podemos matar a nossa galinha dos ovos de ouro que é o crescimento da economia brasileira."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]