Preço do tomate disparou 90% em março, ante fevereiro | Daniel Castellano/ Gazeta do Povo
Preço do tomate disparou 90% em março, ante fevereiro| Foto: Daniel Castellano/ Gazeta do Povo

R$ 329,55 é o valor da cesta básica de Curitiba em março.

Depois de começar o ano em queda, o preço da cesta da básica em Curitiba deu uma guinada para cima em março, apresentando elevação de 12,29%. A capital paranaense teve o quarto maior índice entre as 18 capitais analisadas na Pesquisa Nacional da Cesta Básica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Veja a relação da inflação com o preço da cesta básica

O tomate, que já havia sido o vilão de fevereiro, continua liderando a lista de produtos com maior variação. O preço do item subiu 90% em março, na comparação com fevereiro. De R$ 2,80 no mês anterior, o preço pulou para R$ 5,32 em março, de acordo com a medição do Dieese. No acumulado dos três primeiros meses do ano, a alta chegou a 54,65%.

A batata e a banana vêm logo em seguida, com aumentos de 34,88% e 31,25%, no comparativo com fevereiro, e 21,34% e 21,94%, no acumulado trimestral.

A compra dos produtos básicos de alimentação de um curitibano custou R$ 329,55 em março. Em fevereiro, foi R$ 293,49. Só nos três primeiros meses de 2014, o acumulado foi de 9,37%. Nos últimos 12 meses, a variação chegou a de 11,8% – a segunda maior alta entre as capitais pesquisadas.

Os produtos que apresentaram diminuição do preço tiveram variação discreta. A maior queda em relação ao mês anterior foi na farinha de trigo, com -1,38%.

Defasagem

Segundo o Dieese, o custo para alimentar um casal e duas crianças chegou a R$ 988,65 em março – comprometendo quase dois salários mínimos só para suprir os gastos com alimentação.

Considerando a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o valor necessário para uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 2.992,19 – ou 4,1 vezes o salário mínimo atual, de R$ 724.

Porto Alegre foi a capital onde se apurou o maior valor para a cesta básica (R$ 356,17), seguido de São Paulo (R$ 351,46); Florianópolis (R$ 345,63); e Rio de Janeiro (R$ 345,11). Os menores valores médios foram encontrados em Aracaju (R$ 225,82); em João Pessoa (R$ 263,17); e Natal (R$ 271,31).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]