Plaucius Vinicius, executivo da LOT Group: empresa ucraniana buscou apoio para chegar ao Brasil. | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Plaucius Vinicius, executivo da LOT Group: empresa ucraniana buscou apoio para chegar ao Brasil.| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Em busca de capacitação, três novas empresas entraram recentemente para a Incubadora Tecnológica (Intec) do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar): Werker, I9 Algo e LOT América. Os empreendedores vão receber apoio técnico e de gestão para viabilizar seus modelos de negócios e terão à disposição o espaço físico e o laboratório de prototipagem da sede localizada em Curitiba. Com as recém-chegadas, a Intec tem nove incubadas atualmente.

As incubadoras de empresas auxiliam empresários que estão começando. As instituições oferecem espaço físico e contam com equipes especializadas para suporte técnico e gerencial aos empreendedores. Normalmente, estão ligadas a estabelecimentos de ensino privados ou públicos, como é o caso da Incubadora Tecnológica do Tecpar.

O gerente da Intec, Gilberto Passos Lima, explica que os principais critérios para uma ideia ser selecionada são inovação e base tecnológica. As candidatas passam por um processo seletivo que inclui apresentação do plano de negócios. “Não aceitamos empresas prontas. A partir do plano de negócio que elas apresentam, identificamos aquelas que têm potencial para alcançar o sucesso”, diz.

Histórico

A incubadora do Instituto de Tecnologia do Paraná foi fundada em 1989 – é a primeira de base tecnológica do estado e foi eleita duas vezes a melhor do Brasil. Durante os 26 anos de existência, quase 100 empresas passaram pelo processo de incubação e cerca de 50 concluíram o ciclo que dura, em média, três anos.

Recém-chegadas

O principal entrave para a Werker é descobrir como vender. Focada em desenvolver uma impressora 3D de baixo custo para a indústria brasileira, a empresa foi idealizada em maio de 2014 pelos engenheiros Thiago Schultz e José Fárlei. A dupla buscou apoio da Intec para aprimorar as noções de gestão empresarial. “Precisamos de ajuda para entrar no mercado, criar estratégias de negócio e fazer captação de investimentos”, afirma Thiago Schultz.

Já a I9 Algo buscou a incubadora para criar protótipos. A empresa desenvolve soluções a partir de ideias que recebe em uma plataforma virtual. “Precisamos criar protótipos para testar os produtos e também necessitamos de auxílio para estudar o mercado. Queremos criar mais cinco novas soluções durante a incubação”, diz o fundador André Straube.

A terceira empresa recém-chegada é a ucraniana LOT Group, especializada em sistemas de gestão para meios de transporte público. A LOT América, subsidiária criada para entrar no mercado brasileiro, vai passar pelo período de incubação da Intec para começar a operar por aqui.

De acordo com Plaucius Vinicius, executivo da companhia, o Paraná foi escolhido pelo alto nível de educação e pela cultura ucraniana presente em Curitiba. “Ganhamos um selo de qualidade quando estamos numa incubadora. Isso vai facilitar o encontro com fornecedores. Também buscamos apoio jurídico para implantar nossos sistemas no Brasil”, relata.

Empresas graduadas

A Intec já deu suporte a quase 100 empresas. Confira como estão algumas delas:

Bematech

Primeira empresa a ser incubada, em 1990. Desde 2009, é líder na área de automação comercial.

Daiken

Graduada em 1998, atua hoje com fabricação de elevadores residenciais e plataformas elevatórias.

Cinq Technologies

Empresa da área de software que saiu da incubadora em 2004. Foi eleita por três anos consecutivos entre as 20 melhores empresas para se trabalhar no Paraná.

Pase Hidrometria

Especializada em sistemas de controle de recursos hídricos, terminou o ciclo na incubadora em 2013. Atua em todo o país.

Hi Technologies

Produz tecnologia de ponta em soluções de telemedicina. Terminou o período de incubação em agosto deste ano.

Confira como ingressar no programa

Os empreendedores que precisam do apoio de uma incubadora para desenvolver seus negócios podem se candidatar à Incubadora Tecnológica (Intec) do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) a qualquer momento. As propostas devem ser apresentadas pelo site por pessoa jurídica. É permitida a apresentação por pessoa física, desde que o empresário constitua uma empresa até a assinatura do contrato de incubação.

Após as inscrições, quando solicitado, os interessados devem entregar toda a documentação necessária e o plano de negócio para avaliação. Depois, vão apresentar o projeto para uma banca avaliadora. Podem, ainda, ser chamados para uma entrevista. O último edital deste ano para escolher as novas integrantes será lançado em novembro.

São três modalidades de incubação: residente, não residente e residente coworking, em que o empreendedor compartilha algumas das instalações da incubadora. A Intec tem cerca de 1.500 m² de área construída e oferece salas de 15 a 60 m², além de espaços para reunião, áreas de convivência e estacionamento.

As selecionadas precisam pagar um taxa para usar o espaço e os serviços oferecidos. A incubada residente tem o custo mensal de R$ 60 por metro quadrado utilizado. A enquadrada na modalidade coworking paga R$ 40 por período e por pessoa que usa o espaço. Já a não residente paga mensalmente o valor-base de R$ 1.160.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]