i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Empreender

Os segredos das youtubers que fazem da onda “faça você mesmo” uma fonte de renda

Moda do “faça você mesmo” faz artesãs virarem youtubers e youtubers virarem artesãs. Com isso, elas também ganham dinheiro e ajudam quem quer começar nesse mundo

  • PorNaiady Piva
  • 06/09/2017 20:02
Ana Paula Brasil com suas alunas (e fãs) | Naiady Piva
Ana Paula Brasil com suas alunas (e fãs)| Foto: Naiady Piva

Elas tem 15, 35 ou 60 anos. Fazem crochê, colagem, costura criativa. Amam o Pinterest. As youtubers de "faça você mesmo" são a grande onda do momento. Muitas são artesãs experientes, e que viram na plataforma uma forma de alavancar suas vendas. Além de ganhar dinheiro com a fama, as youtubers ensinam os primeiros passos para quem quer fazer do artesanato e da costura uma nova fonte de renda.

LEIA TAMBÉM Evento em Curitiba é oportunidade para transformar artes manuais em fonte de renda

Ana Paula Brasil trabalha com artesanato há mais de 20 anos. Nos anos 2000, chegou a participar do Note e Anote, da apresentadora Ana Maria Braga. Artesanato é sua paixão (ela mesma criou 22 técnicas de quilt, e domina 40) e a câmera, uma grande amiga. 

Foi só no ano passado que ela foi lançar seu canal de costura criativa, o "cANAda pAULA Brasil". São cinco mil inscritos, número ainda pequeno se comparado aos campeões da plataforma (a curitibana Kéfera Buchmann, por exemplo, tem 10 milhões. Whindersson Nunes, 22 mi). Mas é um público fiel. 

LEIA MAIS sobre empreendedorismo, carreira e finanças pessoais

"Eu solto meus vídeos pela manhã, então brinco que elas tomam café comigo. Muitas são minhas amigas". O engajamento das fãs fez com que Ana garantisse o patrocínio de marcas do mundo da costura, como fabricantes de máquinas, panos e linhas. 

E quem são estes fãs? 

A pergunta foi feita para ela durante o Quilt & Craft Show, um evento de costura criativa, em Curitiba. A youtuber se voltou para a turma de mulheres, a maior parte na casa dos 60 anos para cima. "Quem aqui assina meu canal?". Todas levantaram a mão. 

Meet & Greet 

Ali do lado, a catarinense Marcia Baraldi divide o tempo entre a venda e as fotografias. As fãs param para tirar foto com a empresária, que hoje está no meio de uma série de "365 vídeos de quilting", que vai durar um ano todo. 

LEIA TAMBÉM Buscando um emprego temporário de fim de ano? A hora de enviar currículo é agora

Diferente de Ana Paula, Marcia não faz dinheiro diretamente com o canal. Ela usa o YouTube como forma de divulgação pessoal, e gera a sua renda em aulas e cursos presenciais, e com a venda de produtos da sua marca. 

Do it yourself 

Enquanto artesãs descobrem a internet como forma de marketing pessoal, muitas youtubers veem no "faça você mesmo" (conhecido pelo DIY, da sigla em inglês) um nicho de vídeos populares. 

Larissa Vale criou seu canal há 4 anos, para mostrar algumas coisas que fazia em casa. Hoje tem mais de 140 mil inscritos, e tira metade da sua renda dos vídeos. 

Rafaela Oliveira e Nina Braz começaram como blogueiras e migraram para o YouTube. As duas falam de organização da casa, decoração e técnicas de "faça você mesmo". E tiram seu sustento da internet, em especial do empresas patrocinadoras. 

Geração de renda multiplicada

Mas, afinal, por que o DIY é a onda do momento, na internet? As explicações são várias. Uma é a inclusão digital: muitas mulheres na casa dos 40 anos para cima, que formam o público mais tradicional do artesanato, hoje são usuárias árduas das redes sociais. Participam de grupos no Facebook, seguem boards no Pinterest, seguem canais no Youtube. E muitas vezes são, elas próprias, influenciadoras digitais. 

Outra é a geração do "faça você mesmo". A lógica de criar ou comprar um produto exclusivo, dar um presente feito com as próprias mãos, é um casamento perfeito com a lógica millenial de buscar experiências (explicamos direitinho como os jovens millenials influenciam o padrão de consumo nesta reportagem). 

LEIA TAMBÉM Como transformar um hobby numa fonte de renda extra. Veja três áreas promissoras

Muitas youtubers de "faça você mesmo" ganham dinheiro em cima dos patrocínios. Outras usam a fama como plataforma para vender produtos e cursos. Emilia Aoki estima que, por cima, uma youtuber com carreira consolidada tira cerca de R$ 30 mil por mês. 

Além de ganhar dinheiro, estas estrelas da internet lideram uma revolução no mundo do artesanato. O que antes era "coisa de vó", passou a ser algo popular. Fazer algo com as próprias mãos pode ser o hobby de uma senhora de 80 ou de uma criança de 7 anos. O que abre uma avenida em oportunidades de negócios, para quem trabalha na área.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.