Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Marcelo Machado , CEO da Landis+Gyr, | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
Marcelo Machado , CEO da Landis+Gyr,| Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Dos gestores aos colaboradores, o conceito de eficiência é levado muito a sério no dia a dia da multinacional Landis+Gyr. Dentro da fábrica, na Cidade Industrial de Curitiba, a empresa mantém uma equipe dedicada exclusivamente a um programa de melhoria contínua. Entre outras funções, a área avalia todas as sugestões e ideias de melhorias dos funcionários e dá o encaminhamento. É regra. Nenhuma ideia passa em branco ou fica sem resposta. E muitas delas já saíram do papel.

Especialista em soluções para redes inteligentes de energia, a multinacional de origem suíça, hoje controlada pela japonesa Toshiba, conseguiu o que poucas empresas fazem na prática: eliminar a burocracia típica do ambiente empresarial para acolher melhor as sugestões dos seus 404 colaboradores, divididos entre Curitiba, Rio de Janeiro e Belém. Exemplo disso foi uma iniciativa da área de Recursos Humanos. Direcionado à coordenação e gerência, o programa para desenvolvimento de boas práticas em liderança e gestão durou quatro meses e deu origem a 17 projetos dos quais 12 já foram implantados.

VÍDEO: Veja os números da Landis+Gyr

Esse esforço para horizontalizar a gestão e melhorar a comunicação e a transparência com os funcionários trouxe ganhos importantes para os dois lados, e foi um dos aspectos que fez que a empresa fosse reconhecida como vencedora do Prêmio Bem Feito no Paraná 2016, uma iniciativa da Gazeta do Povo com apoio técnico do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP).

Eficiência contra a crise

A Landis+Gyr não passou imune a crise, e nunca escondeu as dificuldades dos seus colaboradores. A retração econômica freou o ritmo de investimentos das companhias em redes inteligentes de energia. A empresa teve de fazer ajustes. Depois de um crescimento satisfatório em 2014 e 2015, neste ano a receita da empresa deve regredir ao nível de 2013. A previsão de retomada do crescimento ficou para depois, em 2018, se o ambiente estiver favorável, ressalta Marcelo Machado, CEO da Landis+Gyr para a América do Sul.

Mas a recessão também fez com que a empresa olhasse ainda mais para dentro de casa. A Landis+Gyr otimizou processos para combater o desperdício de tempo e produtos, reduzir custos e fazer mais com menos. “Após a implementação do processo e das ações de lean manufacturing, como revisão de processos, fluxos e otimizações em geral, obtivemos um aumento de produtividade geral na faixa de 20%”, afirma Alexandre Vidal, diretor de operações da Landis+Gyr.

Filial brasileira

A planta de Curitiba é uma das 11 fábricas da Landis+Gyr espalhadas pelo mudo. Com capacidade para produzir 3,8 milhões de medidores eletrônicos por ano, é dali que saem soluções customizadas para projetos em redes inteligentes em todo o Brasil e na América do Sul. Vidal conta que quando a Toshiba comprou a Landis+Gyr, a primeira fábrica da multinacional suíça que foi indicada para que os japoneses conhecessem foi a de Curitiba. Exceto alguns componentes, 95% dos equipamentos são feitos na planta da CIC, que é referência em novos produtos, organização e bem-estar dos colaboradores, atributos bastante valorizados pelos japoneses.

A empresa começou focada na produção de medidores de energia, mas se reinventou de olho no potencial do mercado. Hoje oferece um pacote completo, de ponta a ponta, com software, instalação, operação e manutenção de todo o sistema. “Nós dominamos a tecnologia de redes inteligentes e isso nos permite atuar como um consultor para os nossos clientes”, afirma Machado.

P&D cresce conectado às necessidades do mercado

Ao atender as peculiaridades das normas e do mercado brasileiro, a fábrica da Landis+Gyr em Curitiba tornou-se referência mundial no desenvolvimento de novos produtos. “É o caso do combate e gestão de perdas de energia por fraudes e furto. Nós fomos pioneiros no mundo na aplicação desse tipo de sistema”, afirma Marcelo Machado, CEO da Landis+Gyr para a América do Sul.

Ao todo, 65 profissionais (35 da Landis+Gyr e mais 30 de instituições parceiras espalhadas pelo país) atuam na área de P&D da filial brasileira. A formação desses colaboradores também é uma premissa da empresa. “Não encontramos esses funcionários prontos no mercado. Por isso temos um programa de desenvolvimento interno com processo de retenção que não é apenas financeiro, mas de valorização profissional. Queremos garantir que esse conhecimento fique dentro da empresa”, afirma Machado.

P&D na prática

Da área de P&D para o mercado, a Landis+Gyr lançou recentemente uma nova geração de medidores inteligentes para atender as mudanças que já afetam o consumo de energia residencial. Os medidores inteligentes bidirecionais registram tanto o consumo de energia proveniente da rede quanto de sistemas de geração caseiros, que vem crescendo no país por conta da expansão da geração distribuída. Além disso, permitem o controle do consumo com base no conceito de tarifa branca, uma nova opção que estará disponível a partir de 2018 e que sinaliza aos consumidores a variação do preço da energia com base no dia e horário do consumo.

Em 2015, o faturamento global da Landis+Gyr foi de US$ 1,56 bilhão –10% desse montante investido em P&D.

VÍDEO: Os números da Landis+Gyr

Conheça a campeã do prêmio Bem Feito no Paraná

De origem suíça, a multinacional Landis+Gyr é controlada pela japonesa Toshiba desde 2011.

+ VÍDEOS

LINHA DO TEMPO

Centenária, a empresa começou fabricando medidores de energia e hoje oferece a solução completa em redes inteligentes

1896 – Foi criada em Zug, na Suíça, como o Elektrotechnisches Institut Theiler & Co.

1904 – O fundador Richard Theiler nomeou o engenheiro Heinrich Landis como seu sucessor.

1905 – Depois, em parceria com o Dr. Karl Heinrich Gyr, a Companhia assumiu o nome de Landis & Gyr.

1998 - a Landis & Gyr foi adquirida pela Siemens, que negócio para investidores financeiros em 2002 sob o novo nome Landis + Gyr.

1992 – A multinacional suíça escolheu Curitiba para ampliar sua área de atuação na América do Sul.

2011 – A japonesa Toshiba Corporation (60%) e a empresa Innovation Network Corporation do Japão (40%) adquiriram a Landis + Gyr

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]