i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Segurança

Especialista cria programa "espião" que infecta iPhone

"Fat" é capaz de monitorar a câmera, o microfone, o GPS e SMSs. Pesquisador quer alertar para problemas de segurança no celular

  • PorG1/Globo.com
  • 25/10/2010 17:55
O iPhone 4: filas no Brasil e nos EUA | Divulgação/Apple
O iPhone 4: filas no Brasil e nos EUA| Foto: Divulgação/Apple

Um programa espião capaz de monitorar a navegação web, o serviço de GPS, a câmera e o microfone do iPhone foi demonstrado na conferência de segurança ToorCon, em San Diego, na Califórnia. Eric Monti, especialista da TrustWave Spider Labs, baseou seu código no programa Jailbreakme, usado para realizar o jailbreak no celular – recurso que torna possível a instalação de aplicativos fora da App Store, da Apple.

O código malicioso, batizado de "Fat", tem o objetivo de mostrar como as mesmas vulnerabilidades usadas para realizar um jailbreak podem ser transformadas em códigos capazes de comprometer a segurança do celular.

A falha usada pelo "Fat" já foi corrigida. Ela foi identificada em agosto, já em uso para a realização do jailbreak. Na ocasião, o G1 antecipou que a brecha poderia ser usada por pragas digitais. O código criado por Monti prova essa possibilidade.

A criação de um código malicioso tem o intuito de alertar para os problemas de segurança existentes no iPhone, segundo afirmou o pesquisador. Ele alerta para a crescente variedade de aplicativos sensíveis, incluindo de acesso a contas bancárias, pontos de venda e outros, que tem sido colocado nos celulares com a percepção de que eles não estão vulneráveis a ataques.

O jailbreak foi considerado lícito nos Estados Unidos, o que tirou o estigma "duvidoso" da prática. A coluna Segurança para o PC do G1 já alertou para riscos de se desbloquear alguns aparelhos, entre eles o iPhone. O uso de brechas de segurança para a disseminação de códigos maliciosos, porém, pode atingir mesmo aqueles que tem um dispositivo bloqueado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.