Agroenergia - Caminhos do Campo debate o biodiesel

Na segunda edição da série de reportagens sobre a safra 2007/08, a Expedição Caminhos do Campo discute as dificuldades para a consolidação da política de biodiesel no país. A três meses do marco legal de implementação do programa, que prevê a adição de 2% de óleo vegetal ao diesel comum, o Brasil ainda questiona a sua vocação para a produção do biocombustível. No caderno Caminhos do Campo de terça-feira, analistas, técnicos e produtores falam da sua expectativa e da relação direta do biodiesel com o agronegócio brasileiro. (GF)

Na terceira semana da sondagem a campo, a Expedição Caminhos do Campo/Gazeta do Povo chega amanhã ao norte do Paraná, onde vai intensificar as discussões sobre o clima na safra 2007/08. A região responde, em média, por 27% da área cultivada com soja e 20% da área com milho no estado. De Jacarezinho a Maringá, passando por Cornélio Procópio, Londrina, Apucarana e Ivaiporã, a divisão territorial norte da Secretaria Estadual da Agricultura (Seab) é a primeira na produção da oleaginosa e a segunda no ranking do cereal.

Para Londrina a Expedição leva a palestra "Tendências do clima na safra 2007/08", com o meteorologista Luiz Renato Lazinski, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Entre outras abordagens, ele vai falar sobre o La Niña, fenômeno que vai influenciar o clima em todo o ciclo produtivo da safra de verão. "O produtor que não espere um clima tão bom como na safra passada, quando estávamos sob o efeito do El Niño", diz Lazinski, destacando que o quadro deste ano não será muito favorável. Durante o La Niña a chuva é farta em períodos menores e escassa na maior parte do tempo.

Assim como no oeste, Sudoeste e Campos Gerais, a precipitação insuficiente também atrasa o início do plantio no norte. Gustavo Sbrissia, analista da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), explica que dados preliminares da Expedição, que faz um levantamento técnico-jornalístico da produção de grãos, revela que a expectativa de aumento na área do milho de 1.ª safra pode ser comprometida. "Caso a situação das chuvas não se regularize nos próximos dias, parte da área que seria destinada ao cereal pode migrar para a soja, que começa a ser plantada na segunda quinzena de outubro." Em algumas regiões essa mudança já ocorreu.

Na região norte a equipe visita propriedades, cooperativas e sindicatos rurais. Também está programada uma reunião com pesquisadores da Embrapa Soja. A palestra sobre o clima ocorre às 19h30 de quarta-feira, na Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB), na avenida Comandante João Ribeiro de Barros, 471 – Jardim Aeroporto.

Serviço: Para informações sobre a Expedição, acesse www.gazetadopovo.com.br/expedicaocaminhosdocampo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]