O faturamento da indústria registrou queda de 4,9% em abril deste ano, na comparação com o mês anterior, informou nesta terça-feira (8) a Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio dos indicadores industriais.

É a primeira queda do faturamento desde janeiro deste ano, quando foi registrado o recuo de 3,2%. Mesmo assim, no acumulado dos quatro primeiros meses de 2010, o faturamento da indústria cresceu 12,1% contra o mesmo período de 2009.

As horas trabalhadas, indicador relacionado com o nível de produção da indústria, também registrou queda em abril, quando foi registrada uma diminuição de 3,4% contra março deste ano. De janeiro a abril de 2010, porém, o indicador acumula uma expansão de 7%.

"Perda de dinamismo"

"A atividade industrial mostrou perda de dinamismo em abril. O faturamento e as horas trabalhadas registraram queda", avaliou a CNI. "Tivemos um primeiro trimestre bastante intenso, principalmente em março, e já era esperada essa acomodação", acrescentou Flavio Castelo Branco, economista da CNI.

Ele citou o fim dos estímulos para a economia, como o IPI menor para automóveis, como um dos responsáveis, que, segundo sua análise, ocasionou uma antecipação de vendas em março (último mês do benefício) - gerando queda subsequente em abril.

"A expectativa é de redução do ritmo de expansão da atividade, e não de taxas negativas. A expectativa é que tenhamos, em maio, um conjunto de resultados positivos. O faturamento mostrou queda bastante sensível [de 4,9% em abril] e devolveu o forte crescimento de março", avaliou Castelo Branco.

Os dados que mostram desaceleração da indústria saíram no mesmo dia em que foi divulgado o resultado do PIB do primeiro trimestre deste ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os números do IBGE mostram que o PIB avançou 9% no primeiro trimestre de 2010, na comparação com igual período do ano passado - o maior crescimento para esta comparação desde 1995.

Emprego e uso do parque industrialA CNI informou ainda que, com o recuo do faturamento e das horas trabalhadas, o emprego industrial reduziu a velocidade de criação de vagas. Em abril, na comparação com o mês anterior, o emprego industrial avançou 0,1%. Em março, na comparação com fevereiro, havia subido 0,9%. "Apesar da perda de ritmo, o emprego industrial cresce há nove meses consecutivos", observou a entidade.

O nível de uso do parque da indústria (conhecida como utilização da capacidade instalada) somou 83% em abril deste ano, informou a CNI, com aumento de 0,8 ponto percentual frente a março deste ano. "A utilização da capacidade instalada de abril é praticamente a mesma registrada no período pré-crise: em setembro de 2008 (83,1%)", informou a CNI.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]