i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Estados Unidos

Fed mantém taxa de juros em 5,25%, na quarta reunião consecutiva

  • Por
  • 13/12/2006 17:44

O Federal Reserve (Fed, o BC americano) manteve ontem sua taxa de juros em 5,25% ao ano. Foi a quarta reunião consecutiva – e a última de 2006 – em que o BC americano manteve a taxa no atual patamar desde agosto. Na reunião anterior, realizada em outubro, o Fed reiterou a declaração de que algum risco de inflação ainda permanece, mas reconheceu que as pressões inflacionárias estão "inclinadas a se moderarem com o tempo", com a queda nos preços da energia e os efeitos cumulativos das altas anteriores.

No "Livro Bege" (relatório elaborado a partir de dados econômicos coletados nas 12 divisões regionais do Fed) divulgado no mês passado, o Fed destacou o crescimento moderado entre outubro e as primeiras semanas de novembro.

Segundo o documento, as vendas no setor de varejo tiveram alta, mas o mercado de trabalho permaneceu fraco, refletindo a desaceleração significativa da atividade econômica do país: de 5,6% de expansão no primeiro trimestre, caiu para um crescimento de 2,2% no terceiro (dado revisado).

O ciclo de altas nos juros do banco foi interrompido em agosto, após dois anos e 17 aumentos consecutivos da taxa. À época, o Fed informou que a pausa foi vista como "apropriada para limitar os riscos de um aperto excessivo".

O presidente do Fed, Ben Bernanke, disse no fim do mês passado que a inflação nos EUA tem "se comportado melhor" nos últimos meses, mas o núcleo dos preços (que exclui os preços de alimentos e da energia) ainda está "desconfortavelmente alto".

"A inflação em geral foi pressionada por uma alta nos preços da energia, mas as recentes quedas nesses preços reverteram em grande parte esses efeitos", disse Bernanke.

Deflação de 0,5% foi registrada em outubro. Nos 12 meses encerrados neste mês, a alta acumulada dos preços foi de 2,7%. O Fed considera adequado um índice de até 2%.

132 mil empregos foram criados pela economia americana em novembro, enquanto a taxa de desemprego teve apenas uma ligeira variação para cima, indo para 4,5%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.