Londrina - Ambientalistas de Londrina acusaram ontem o Consórcio Cruzeiro do Sul, responsável pelas obras de construção da Usina Hidrelétrica de Mauá (UHE), no Rio Tibagi, nos Campos Gerais, de não cumprir ordem judicial para a paralisação das obras. Eles estiveram no canteiro de obras e filmaram e fotografaram o trabalho de máquinas e operários. Segundo o grupo, máquinas perfuratrizes trabalhavam normalmente.

A assessoria de imprensa do consórcio informou que a movimentação é referente à desmobilização da obra, e que o consórcio precisa colocar em prática medidas de proteção ambiental – por causa do risco de corrosão e assoreamento do rio após retirada de parte da vegetação. O prazo para a realização destes procedimentos seria até o dia 5 de março.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]