i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Startup

IBM cria programa de mentoria para scale-ups no Brasil

  • PorPatrícia Basilio, especial para a Gazeta do Povo
  • São Paulo
  • 04/12/2019 13:26
Tonny Martins, presidente da IBM Brasil.
Tonny Martins, presidente da IBM Brasil.| Foto: Divulgação.

Dois meses depois de anunciar parceria para criação do Centro de Pesquisa em Inteligência Artificial na USP (Universidade de São Paulo), a IBM lançou nesta terça-feira (3) um programa de mentoria para scale-ups brasileiras — startups maduras que crescem em ritmo acelerado: o IBM Open Ventures. Dentro da estratégia de inovação da empresa, o projeto tem como objetivo dar escala a negócios que possam solucionar demandas de parceiros da gigante norte-americana.

De acordo com Tonny Martins, presidente da IBM Brasil, 12 scale-ups já foram selecionadas por um grupo de executivos de diversas áreas da companhia, entre elas a Growth Tech, do setor jurídico, a Tangerino, de recursos humanos, e a TNS, de nanotecnologia. A cada seis meses, 25 novas startups serão escolhidas. “Avaliamos o impacto no mercado, o papel do negócio para a sociedade e o potencial de escalabilidade do projeto”, explicou ele.

Ao contrário de um programa de aceleração, a IBM não vai aportar dinheiro nas scale-ups selecionadas, mas poderá contratá-las e indicá-las para clientes. “Tudo depende do caso”, disse Martins. Os parceiros, inclusive, vão participar do programa e, em alguns casos, também darão mentoria às startups. “Quatro empresas [escolhidas] foram indicadas pelos parceiros”, acrescentou o executivo, sem revelar os nomes.

Martins destacou que as startups poderão trabalhar nos ambientes de cocriação da IBM e no próprio centro de inteligência artificial da USP, além de espaços determinados pelos parceiros. “As scale-ups terão acesso a mais de 190 aplicações na nuvem, além de serviços como o IBM Watson”, detalhou.

Questionado sobre os benefícios do programa para a IBM, o presidente da gigante norte-americana foi enfático: “Não vemos scale-ups vendendo produtos IBM. Os parceiros, sim, levam o projeto e a tecnologia da IBM ao mercado. A inovação só acontece quando a dor de um cliente é solucionada.”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.