i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
comércio

Importações caem mais que exportações favorecendo saldo comercial do acumulado de julho

Balança comercial do mês teve resultado positivo de US$2,151 bilhões, no acumulado do mês

  • Poragência estado
  • 20/07/2009 16:42

A média diária das exportações brasileiras caiu 30% em julho, comparado ao desempenho verificado no mesmo mês do ano passado. Como a média das importações também foi menor no período, 38,7%, a balança comercial do mês teve resultado positivo de US$ 2,151 bilhões, no acumulado do mês.

No período, as exportações somaram US$ 8,088 bilhões e as importações US$ 5,937 bilhões. As importações vêm caindo num ritmo maior que as exportações, desde março, e, com isso, o saldo comercial do acumulado do ano soma US$ 16,138 bilhões, com aumento de 23,2% sobre o saldo obtido em igual período de 2008. O detalhamento da balança comercial foi divulgado nesta segunda-feira (20) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Neste mês, até o último dia 17, o Brasil teve quedas significativas de vendas externas nas três categorias de produtos, em relação a julho de 2008. Exportou 44,4% menos de semimanufaturados (alumínio em bruto, ferro fundido, ferroliga, catodos de cobre e óleo de soja), menos 35,3% de produtos manufaturados (óleos combustíveis, aviões, automóveis, etanol) e menos 18% de produtos básicos (minérios de ferro e cobre, carnes e soja em grão).

Quanto s importações, as reduções mais acentuadas no mês, comparadas a julho do ano passado, foram registradas nas compras de adubos e fertilizantes (-59,1%), seguidas por combustíveis e lubrificantes (-54,5%), produtos siderúrgicos (-49,9%), equipamentos eletroeletrônicos (-36,3%), automóveis e partes (-34,3%) e equipamentos mecânicos (-33,4%).

Com a tendência de queda menor nas exportações que nas importações, os percentuais de queda do acumulado do ano, com 135 dias úteis, estão em 22,7% para as exportações e em 29,6% para as importações.

Há sinais, no entanto, de que essa relação possa se alterar um pouco, e isso já foi registrado no comportamento comercial deste mês, em relação ao mês passado. A média diária das exportações brasileiras diminuiu 9,7%, enquanto a queda das importações foi de apenas 2,6%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.