i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Serasa Experian

Inadimplência sobe 5,2% em junho

Crescimento do endividamento do consumidor foram influenciados pelo bom desempenho das vendas por conta dos Dia das Mães, Dia dos Namorados e Copa do Mundo

  • PorAgência Estado
  • 12/07/2010 05:56

A inadimplência dos consumidores brasileiros apresentou em junho a segunda alta consecutiva ante o mesmo mês do ano passado, ao subir 5,2% em comparação com junho de 2009, segundo o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor, divulgado hoje. Desde outubro de 2009, o indicador vinha apresentando queda na comparação anual, um movimento que foi invertido a partir de maio. Em relação ao mês anterior, a inadimplência do consumidor apresentou avanço de 1,1% em junho.

De acordo com os especialistas da Serasa, o crescimento do endividamento do consumidor e o bom desempenho das vendas - sobretudo por conta do Dia das Mães, do Dia dos Namorados e da Copa do Mundo de futebol - foram os fatores que influenciaram a alta da inadimplência. O consumo para aproveitar a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre automóveis, eletrodomésticos da linha branca (fogões, geladeiras, lavadoras e tanquinhos) e móveis também impacta no aumento das dívidas e na maior dificuldade de honrar os compromissos.

Para a Serasa Experian, esse endividamento maior e a continuidade do aperto monetário promovido pelo Comitê de Política Monetária (Copom) com a alta da taxa básica de juros da economia (Selic) devem promover novas altas da inadimplência do consumidor nos próximos meses. No entanto, para os economistas, os resultados da inadimplência ainda estão longe de recorde histórico e, mesmo com as possíveis altas, sob controle.

Segundo os dados compilados pelo indicador, houve alta de 7% na inadimplência com cartões de crédito e financeiras em junho ante maio, além de aumento de 0,6% nas dívidas com bancos. Em compensação, os protestos caíram 4,5% de maio para junho, enquanto a inadimplência com cheques recuou 8,9% no mesmo período.

Semestre

No acumulado do primeiro semestre do ano ante o mesmo período de 2009, porém, a inadimplência apresentou um recuo de 2,3%, a maior queda para esta comparação desde o início do indicador, em 2000. Na primeira metade de 2010, o valor médio das dívidas com os bancos ficou em R$ 1.335,17, uma baixa de 0,4% na comparação com o mesmo período de 2009. Já o valor médio dos compromissos financeiros com cheques subiu 41,9% no período de janeiro a junho de 2010, a R$ 1.227,82. As dívidas com títulos protestados ficaram em R$ 1.156,29, em média, no primeiro semestre deste ano (alta de 6,4%), enquanto as dívidas médias com cartões de crédito e financeiras somaram R$ 385,50 no período (alta de 1 8%).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.