i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
bélgica

Hospitais passam a adotar robôs humanoides como recepcionistas

Pepper é o primeiro robô do mundo a trabalhar como recepcionista em um ambiente hospitalar

    • AFP
    • 13/06/2016 17:12
    Pepper é capaz de reconhecer a voz humana em 20 línguas e determinar se seu interlocutor é um homem, uma mulher ou uma criança | JOHN THYS/AFP
    Pepper é capaz de reconhecer a voz humana em 20 línguas e determinar se seu interlocutor é um homem, uma mulher ou uma criança| Foto: JOHN THYS/AFP

    Sua dicção é um pouco entrecortada, e seus gestos ligeiramente duvidosos. Mas o robô humanoide Pepper, com um monitor no peito, está pronto para receber pacientes e visitantes em dois hospitais belgas.

    Pepper é o primeiro robô do mundo a trabalhar como recepcionista em um ambiente hospitalar, afirmaram nesta segunda-feira (13), ao apresentá-lo, os encarregados do hospital regional La Citadelle na cidade de Liège, no sudeste do país.

    Leia mais sobre robótica e novas tecnologias

    O robô, de 1,40 metro de altura, cara redonda e equipado com rodas, que ficam escondidas debaixo da sua carcaça branca, é capaz de reconhecer a voz humana em 20 línguas e determinar se seu interlocutor é um homem, uma mulher ou uma criança, disse à AFP Raphaël Tassart, porta-voz da companhia belga Zora Bots, que desenvolveu os programas instalados no cérebro eletrônico de Pepper.

    Em Liège, Pepper, cujo preço de venda é cerca de 30.000 euros, continuará por enquanto confinado na recepção, mas em um hospital da cidade Oostende, no noroeste da Bélgica, poderá acompanhar os visitantes pelos corredores até os diferentes serviços da unidade.

    Robôs da geração de Pepper já foram testados no Japão e na França, geralmente com funções comerciais. “Mas é a primeira vez que serão utilizados na recepção”, afirmou o porta-voz.

    Outros robôs menores, de 57 centímetros, desenvolvidos pela mesma empresa, já estão em funcionamento em cerca de 300 hospitais, centros de aposentados ou de cuidados em vários países.

    Em Liège e Oostende, estes robôs, chamados Nao, são utilizados como auxiliares nos serviços pediátricos e geriátricos.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.