Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

negócios

Justiça autoriza compra da dona da HBO e Warner Bros pela AT&T por US$ 85 bilhões

A decisão, uma derrota para o governo norte-americano, pode encarecer preços e reduzir as opções de escolha para o consumidor final

  • Washington
  • Estadão Conteúdo, com informações da Redação
Fachada de uma loja da AT&T. | Michael Nagle/Bloomberg
Fachada de uma loja da AT&T. Michael Nagle/Bloomberg
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O juiz distrital dos Estados Unidos Richard Leon decidiu nesta terça-feira que a AT&T pode ir adiante com seus planos de adquirir a Time Warner, rejeitando as alegações do Departamento de Justiça (DOJ, na sigla em inglês) americano de que o negócio suprimiria a competição na indústria de televisão paga.

“Concluo que o governo falhou (na tentativa de) satisfazer o ônus da prova”, disse o magistrado. Leon apontou que o DOJ não provou que o negócio poderia ter por provável consequência prejudicar consumidores.

Em um desfecho altamente inusual da sessão da corte, o juiz urgiu o governo dos EUA a deixar que as companhias fechassem o negócio sem demais interferências legais. A proposta de aquisição da Time Warner pela AT&T, avaliada em cerca de US$ 80 bilhões, pende de aval regulatório desde outubro de 2016.

Na prática, a fusão dará à AT&T uma entrada de peso no entretenimento. A Time Warner controla empresas como HBO, Warner Bros e CNN.

LEIA TAMBÉM:Um rolo compressor quase passou pelos direitos dos consumidores e ninguém viu

Pessoas contrárias à fusão argumentam que ela não beneficiará o consumidor final: os preços devem subir e a AT&T poderá direcionar a programação da Time Warner em detrimento da de produtoras e canais rivais. Além disso, o aval da Justiça pode despertar o interesse de outras gigantes por fusões similares — a Disney, por exemplo, aguarda a aprovação da compra da 21st Century Fox, um negócio de US$ 52,4 bilhões. Assim, empresas de telecomunicações, tecnologia e entretenimento poderão criar, no futuro, conglomerados gigantescos, reduzindo a competição e prejudicando os consumidores.

“Para as empresa em geral, [a decisão] será vista como uma luz verde para fusões”, disse Ed Black, presidente da Associação da Indústria de Computadores e Comunicações, um grupo sediado em Washington que representa empresas como Amazon, Facebook e Google, ao Washington Post.

Às 18h40 (de Brasília) da terça, no “after hours” de Nova York, as ações da AT&T tinham baixa de 2,50%, enquanto as da Time Warner disparavam 4,34%.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE